Subvariante da Ômicron impulsiona surto de Covid-19 em Portugal

Mulher usando máscara de proteção caminha em Lisboa

Por Catarina Demony

LISBOA (Reuters) - Uma subvariante da Ômicron tem alimentado um aumento nos casos de Covid-19 em Portugal, que agora tem a segunda maior taxa de infecção do mundo, potencialmente ameaçando a recuperação do setor de turismo.

Portugal registrou uma média de 2.447 novos casos por milhão de pessoas nos últimos sete dias. Isso se compara aos 449 da vizinha Espanha e 70 do Reino Unido, de acordo com o rastreador Our World In Data.

A média móvel diminuiu ligeiramente nos últimos dias e está em pouco mais de um terço do pico da Ômicron de 31 de janeiro.

Portugal tem a quinta maior taxa de mortalidade por Covid-19 do mundo e as hospitalizações estão aumentando, mas ambas ainda estão muito abaixo dos picos anteriores.

Várias empresas de turismo contatadas pela Reuters expressaram temores sobre o aumento, mas disseram que não tiveram cancelamentos até agora. O número de turistas estrangeiros em abril ficou próximo dos níveis vistos antes da pandemia.

Mais de 90% da população de Portugal está totalmente vacinada.

O instituto de saúde pública Ricardo Jorge informou em um relatório na terça-feira que a subvariante da Ômicron BA.5 representava quase 90% das novas infecções por Covid-19. A subvariante BA.4 também foi detectada em Portugal.

"Portugal é provavelmente o país europeu com maior prevalência desta sub-linhagem e isso explica em parte o elevado número (de casos) que estamos vendo", disse a ministra da Saúde, Marta Temido, à emissora RTP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos