Sudeste impulsiona redução da distância de Lula para Bolsonaro no segundo turno

Derrotado neste domingo pelo ex-presidente Lula (PT) na eleição mais apertada desde a redemocratização, o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) reduziu em cerca de 4 milhões de votos a vantagem que havia sido aberta pelo petista no primeiro turno, que chegava a 6 milhões de votos. A região Sudeste foi a principal responsável pelo avanço de Bolsonaro, que ampliou em quase 1 milhão de votos sua dianteira em São Paulo e enxugou quase toda a gordura de Lula em Minas.

No quadro geral, a região foi responsável por 1,8 milhão dos votos que Bolsonaro tirou da desvantagem em relação a Lula, quase metade do avanço registrado pelo atual presidente.

Bolsonaro melhorou seu desempenho em comparação a Lula em todos os 26 estados e no Distrito Federal. O presidente também mostrou maior fôlego neste segundo turno na região Sul, onde já havia vencido nos três estados no primeiro turno, ampliando sua vantagem desta vez em mais de 1 milhão de votos.

Lula, que teve menos votos do que no primeiro turno em quatro dos sete estados da região Norte, conseguiu sustentar uma dianteira de cerca de 2 milhões de votos no cômputo geral, especialmente graças a avanços no Rio, Ceará e na Bahia.

Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, a vantagem de Bolsonaro para Lula, que havia sido de 1,7 milhão de votos no primeiro turno, saltou para 2,6 milhões na apuração deste domingo. Em Minas, que reúne o segundo maior número de votantes no Brasil, o atual presidente foi superado neste segundo turno por menos de 50 mil votos, praticamente zerando uma desvantagem que havia sido de 563 mil votos na rodada anterior.

O Rio, embora também tenha ajudado Bolsonaro a encurtar a distância geral na caçada a Lula, não trouxe um avanço para o atual presidente no mesmo ritmo que os estados vizinhos. Enquanto Bolsonaro obteve quase 600 mil votos a mais em seu berço político, na comparação com o primeiro turno, Lula registrou entre os eleitores fluminenses um de seus maiores avanços, com cerca de 310 mil votos a mais – um crescimento de 8%. No segundo turno, o petista ampliou sua aliança política no estado, atraindo apoios dos prefeitos da capital, Eduardo Paes (PSD), e de Belford Roxo, Waguinho (União).

Entre os principais avanços de Lula estão também dois estados do Nordeste, Ceará e Bahia, onde o presidente eleito somou 450 mil votos a mais do que no primeiro turno. No quadro geral, contudo, Bolsonaro também conseguiu encurtar a diferença para o petista na região: ele teve 1,1 milhão de votos a mais do que no primeiro turno, contra 781 mil votos a mais para Lula, o que trouxe um fôlego de 393 mil votos para o atual presidente na caçada ao adversário.

Veja, nos dez estados que mais ajudaram Bolsonaro a encurtar a vantagem de Lula, qual foi o avanço do atual presidente em número absoluto de votos: