Sul da Ásia ultrapassa 30 milhões de casos de Covid-19, conforme Índia enfrenta 2ª onda

·1 minuto de leitura
Vacinação contra Covid-19 na Índia

Por Lasya Priya M e Anurag Maan

BENGALURU (Reuters) - As infecções de coronavírus no sul da Ásia ultrapassaram 30 milhões nesta sexta-feira, de acordo com uma contagem da Reuters de dados oficiais, lideradas pela Índia, que enfrenta uma segunda onda da Covid-19 e uma escassez de vacina em toda a região.

A Índia, o segundo país mais populoso do mundo, registrou neste mês seu maior número de mortes de Covid-19 desde que a pandemia começou no ano passado, respondendo por pouco mais de um terço do total de óbitos.

A região do sul asiático --Índia, Bangladesh, Paquistão, Butão, Nepal, Maldivas e Sri Lanka-- representa 18% dos casos globais e quase 10% das mortes, mas existe uma suspeita crescente de que as cifras oficiais de infecções e mortes não estão refletindo a verdadeira amplitude do problema.

Neste mês, a Índia iniciou sua primeira campanha de vacinação contra o coronavírus para todas as pessoas de 18 anos ou mais, mas não tem conseguido atender a demanda por inoculação, apesar de ser uma das maiores produtoras de vacina do mundo.

A Índia está inoculando a população com a vacina da AstraZeneca, produzida localmente pelo Instituto Serum da Índia, e a Covaxin feita pela empresa local Bharat Biotech, e começa a distribuir a russa Sputnik V.

O primeiro-ministro, Narendra Modi, enfrenta críticas cada vez maiores devido à incapacidade de obter vacinas --só cerca de 3% dos 1,3 bilhão de habitantes do país já foram totalmente vacinados, a menor taxa entre os 10 países com mais casos.

(Por Lasya Priya M e Anurag Maan)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos