SuperaRJ: benefício não chega a aprovados, que passam por dificuldades financeiras

·2 minuto de leitura

Moradores do Estado do Rio que foram aprovados para receber o SuperaRJ continuam com problemas para serem, de fato, beneficiados pelo programa assistencial do governo de Cláudio Castro. Entre os problemas, estão do atraso na liberação dos cartões até o descumprimento do prazo de recarga. O auxílio é de R$ 200, com adicional de R$ 50 por filho, limitado a dois dependentes, e destinado a cidadãos fluminenses em dificuldades financeiras durante a pandemia.

É o caso de Larissa Sobral, moradora de Santo Antônio de Pádua, de 25 anos, que espera desde junho um auxílio, que deveria ser emergencial. Ela conta que após ter sido habilitada ao programa, seu direito passou por revisão em julho, sob a alegação de que ela já estaria recebendo um benefício do governo federal.

A jovem, porém, comprovou a informação não procedia e recebeu nova aprovação em agosto. Desde então, a mensagem que lê no site do governo é: "Retorne ao site em breve para saber onde retirar o seu cartão". Ela segue sem a resposta.

— Sou licenciada em Educação Física, mas não consigo oportunidade, já que tem toda a questão do Covid. Cheguei a conseguir um emprego em setembro do ano passado, mas, no fim de 45 dias, me demitiram, e eu fiquem sem nada. Moro em um quartinho com banheiro, sozinha, e é um parente que me ajuda um pouco; outro, com outro pouco. Mas está difícil para todo mundo — conta ela: — É humilhante. A gente já está bem apertado com tudo, ainda tem que implorar por R$ 200, enquanto quem deveria dar o suporte está com o pagamento no bolso.

Já a manicure Rafaela Miranda, de 27 anos, conseguiu receber o cartão e o auxílio por dois meses. Mas as parcelas de agosto e setembro nunca foram depositadas.

— Em agosto e em setembro o dinheiro não caiu. A situação está muito difícil. Tudo muito caro, e o dinheiro não dá pra nada. Ainda tenho que sustentar uma filha de 4 anos — diz.

Procurado, o governo do estado afirmou, nesta segunda-feira (dia 4), que realizaria todo o pagamento de setembro até o fim do dia. Mas os beneficiários ainda reclamam da falta de crédito.

Este já era o terceiro prazo dado pelo governo para realizar os pagamentos de setembro a cem mil famílias, inicialmente previstos para serem feitos entre 15 e 20 de setembro.

Também havia sido feita uma promessa aos beneficiários do programa de pagamento de uma cota extra, entre R$ 50 e R$ 80, para a compra de botijão de gás de cozinha. Mas a ação segue sem notícia de quando será concretizada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos