Superpedido de impeachment será protocolado no dia 30

·2 minuto de leitura
Demonstrators gather with signs and flags during a protest against Bolsonaro's administration on June 19, 2021 in Sao Paulo, Brazil. Brazilian president Jair Bolsonaro is facing a probe for pandemic mismanagement as the country counts 500,022 deaths of COVID. The controversial decision to host the Copa America 2021 amid the coronavirus crisis is questioned by a large part of the population. (Photo by Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Manifestação contra Bolsonaro no dia 19 de junho, em São Paulo. Foto: Cris Faga/NurPhoto via Getty Images
  • Partidos de esquerda e ex-aliados de Bolsonaro se uniram para tentar dar mais força ao pedido

  • Movimentos sociais planejam ato para o mesmo dia em Brasília

  • Texto deve apontar mais de 20 crimes do presidente

Partidos de esquerda e movimentos sociais se juntaram para elaborar um superpedido de impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido), que será protocolado na próxima quarta-feira (30). O pedido vai listar mais de 20 crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente.

A data foi definida em reunião de líderes das organizações nesta quinta-feira (24). O requerimento se propõe a unificar os mais de 100 pedidos já feitos anteriormente pela oposição e ex-aliados de Bolsonaro, como Joice Hasselmann (PSL-SP) e Alexandre Frota (PSDB-SP).

Os debates são liderados pelos presidentes do PSOL, PT, PCdoB, PDT, PSB, Rede, UP, PV e Cidadania. Com a união de diversas siglas, eles esperam ter mais força para pressionar o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), a pautar o pedido.

Leia também:

No dia da entrega do pedido será feito um ato em Brasília, às 14h30, encabeçado pelas organizações sociais que participam da mobilização em prol do superpedido, entre elas a União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Movimento dos Sem Terra (MST).

"Esse novo pedido é muito importante, primeiro porque vem com a força e mobilização permanente das ruas contra Bolsonaro, e também porque agora reúne todos pedidos anteriores, movimentos sociais e partidos e deverá reforçar ainda mais os próximos protestos", diz Iago Montalvão, presidente da UNE.

O superpedido

Os crimes apontados pelo superpedido de impeachment se referem a diferentes ações do presidente Bolsonaro durante seu mandato. Entre elas, a suposta interferência na Polícia Federal, denunciada pelo ex-ministro Sérgio Moro.

Questões relacionadas à gestão da crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19 também foram levantadas.

Ameaças ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal (STF) também devem entrar no pedido, além do apoio e participação em manifestações consideradas antidemocráticas ou anticonstitucionais e a defesa do Ato Institucional nº5 (AI-5), promulgado na ditadura militar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos