Supla sobre se candidatar: “Eu faço política nas minhas músicas”

·1 minuto de leitura
Reprodução Instagram

Supla, 55, bateu um papo com os fãs, ele falou sobre dicas de filme de terror, música, underground, a possibilidade de fazer show em Porto Alegre, e teve até uma internauta que pediu para ser amarrada na cama dele. O cantor afirmou que está namorando, mas não revelou quem.

Divertido, o filho dos políticos, Suplicy e Marta, respondeu algumas perguntas em português e inglês, e não fugiu de nenhuma questão, inclusive, essa “Por que a sua família rica prega o socialismo e vive o melhor do capitalismo?”.

Leia também:

“Não é essa a questão, não é porque eu vim de uma boa família que pode me dar boas escolas, uma boa educação, que eu não posso sentir a dor do outro, que eu não posso ter empatia pelo outro, tá ligado? As pessoas só querem andar pelas próprias pernas. Do que adianta estar bom pra você e pra outras milhões de outras pessoas não estar legal? Eu quero um país mais justo onde as pessoas possam ter boas condições como eu tive, qual o problema?”, respondeu.

Questionado se ele já havia pensado em entrar pra política, rindo ele disse: “Lógico que eu já pensei, mas sem nepotismo. Eu faço política nas minhas músicas, nas minhas ideias, eu tenho uma voz, não precisa ser no congresso ou na assembleia, eu vou mandando as ideias aqui mesmo. Esse é um assunto que eu falo no meu livro, é um capítulo, no meu áudio book que eu vou lançar amanhã. No final tudo é política, eu tenho até uma música que se chama ‘Fuck Politics’, concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos