Suplente de Demóstenes nega gratidão a Cachoeira

Suplente de DemóstenesBRASÍLIA. Fora dos holofotes desde o estouro do escândalo Cachoeira, o primeiro suplente do senador cassado Demóstenes Torres, Wilder Pedro de Morais, recorreu pela segunda vez à sua página no twitter para se defender e negar que tenha gratidão pelo bicheiro. Primeiro usou o microblog para se defender de acusações, publicadas pelo GLOBO, de omissão de patrimônio na declaração de bens à Justiça Eleitoral. Na noite de quinta-feira, depois da divulgação no Jornal Nacional, da TV Globo, de áudios de grampos da Polícia Federal em que o bicheiro diz ser o responsável pela sua indicação à suplência de Demóstenes e à secretaria de Infraestrutura do governo de Goiás, Wilder postou no twitter quatro posts explicando que a conversa foi pinçada de uma ampla discussão em que seu real propósito foi colocar um ponto final em uma conversa "constrangedora" dos dois sobre sua separação da ex-mulher e atual de Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça.

Leia também:
MPF denuncia empreiteiros acusados de pagar Maluf
Demóstenes vai responder a procedimento no MP de GO
Internautas aprovam cassação e frustram Demóstenes

Nos grampos da PF na Operação Monte Carlo, Cachoeira diz a Wilder: "Eu não vou expor você, cara. Fui eu que te pus na suplência, essa secretaria, fui eu, você sabe muito bem disso. Então, para que eu vou te expor? Em seguida o suplente de Demóstenes responde em tom de ironia, como se agradecesse ao contraventor por colocá-lo na política e no governo de Marconi Perillo: "Carlinhos, pensa um cara que nunca teria encontrado um governo, que nunca teria sido bosta nenhuma. Você está falando com esse cara."

Com base nesses grampos, integrantes da CPI de Cachoeira , antes mesmo da posse do suplente, já começaram a defender que ele seja convocado para explicar, na comissão, se suas relações com o bicheiro são só pessoais, ou se ele tem algum envolvimento com a organização criminosa. Os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Ricardo Ferraço (PMDB-ES), membros da CPI, disseram que Wilder Morais assume sob forte suspeita e tem que se explicar.

Em resposta aos senadores, sem dar entrevistas, pelo Twitter, Wilder deu as primeiras justificativas para a conversa no fim da noite de quinta-feira.

"Áudio exibido pela imprensa mostrando Carlos Cachoeira dizendo q (sic) me indicou a suplente e secretário é fragmento de uma conversa.Discutíamos sobre questões de foro íntimo, que resultou na minha separação da esposa (Andressa Mendonça). Ao contrário do que vem sendo divulgado, meu real propósito não foi mostrar gratidão, mas pôr fim a uma conversa constrangedora. Se a íntegra da conversa fosse divulgada, a interpretação dos fatos certamente seria outra".

Segundo a assessoria de Wilder, ele está de férias e só deve voltar de uma viagem ao Ceará no dia 25 de julho. O presidente do Democratas, senador José Agripino Maia (RN) tenta um encontro com ele ainda esse final de semana para discutir sua posse e como deve encaminhar sua defesa no Senado. Apesar do bombardeio, Agripino diz que o empresário, um dos homens mais ricos de Goiás, deve assumir a vaga de Demóstenes.

- A chance dele não assumir é zero - disse Agripino.

Carregando...

YAHOO NOTÍCIAS NO FACEBOOK

Siga o Yahoo Notícias