Suplicy encontra Alckmin, cotado a vice de Lula, e gera reação nas redes

·2 min de leitura

Na tarde deste domingo, o vereador da cidade de São Paulo Eduardo Suplicy (PT) e o ex-governador do estado Geraldo Alckmin, que vem sendo considerado como um nome para integrar a chapa do ex-presidente Lula como vice nas eleições de 2022, se encontraram na capital. Em sua conta no Twitter, Suplicy compartilhou um registro do momento e afirmou que os políticos encontraram “afinidades na busca por mais igualdade e na luta pela erradicação da pobreza”.

O parlamentar, que já foi deputado federal e senador, é um quadro importante do PT e era crítico do governo de Alckmin no estado de São Paulo. Em sua publicação, no entanto, Suplicy destacou de forma positiva pontos que os políticos teriam em comum.

“Tomei um café hoje com @geraldoalckmin, a convite de Fernando Guimarães, Coordenador do @direitosjaforum. No encontro de duas horas, relatei o Projeto de Renda Básica de Cidadania e encontramos afinidades na busca por mais igualdade e na luta pela erradicação da pobreza”, escreveu o vereador no Twitter.

O encontro acontece em meio a conversas sobre a possibilidade de Alckmin integrar a chapa encabeçada pelo PT para as próximas eleições. No último dia 19, o ex-governador, que deixou o PSDB também neste mês, e o ex-presidente Lula apareceram juntos em público pela primeira vez durante evento organizado pelo grupo de advogados Prerrogativas, em São Paulo.

Na ocasião, os antigos rivais — Alckmin e Lula protagonizaram o segundo turno das eleições de 2006 — demonstraram estar dispostos a trabalharem pela aproximação. Enquanto o ex-tucano afirmou que “é hora de união”, Lula destacou que, apesar das desavenças, ambos estão unidos “pela fé na democracia”. “Não importa se fomos adversários”, disse o ex-presidente.

Nas redes, porém, petistas receberam com críticas a publicação de Suplicy e a aproximação de Alckmin e Lula. Os apoiadores relembraram momentos em que o vereador denunciou casos de violência policial durante a gestão do ex-tucano em São Paulo e o seu apoio ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

“Sai fora dessa roubada suplicy, você tava nas ruas junto dos que sofreram com o abuso da força policial para reprimir manifestações a mando desse senhor aí. Tropa de choque, Bala de borracha, bombas, spray de pimenta…”, escreveu um usuário.

“Não podemos esquecer jamais o “Apoio e União”, no Governo Dilma, com Temer de Vice! Fomos Traídos! Alkimin tem um passado tão ruim quanto Bolsonaro! Não precisamos dele!”, disse outro apoiador.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos