Supostas vítimas de Andrew Tate teriam tatuagens dizendo que são sua 'propriedade'

Supostas vítimas de Andrew Tate, ex-lutador de kickboxing conhecido por fazer diversas declarações misóginas, teriam tatuagens dizendo que são propriedade dele, informou a polícia romena ao portal The Times nesta quinta-feira. Ele e seu irmão, Tristan, foram presos na Romênia em 29 de dezembro durante uma investigação que apura o envolvimento deles com tráfico de pessoas.

Tate ainda estaria envolvido no crime de estupro em sua vila de luxo, além de formação de um grupo de crime organizado. As assistentes assistentes Georgiana Naghel e Luana Radu também foram detidas em Bucareste. Nenhum dos quatro foi formalmente acusado até o momento.

De acordo com as autoridades, as vítimas, tatuadas com a expressão "propriedade do Tate" teriam sido mantidas prisioneiras e, caso saíssem da casa, seriam "seguidas por toda parte". A suspeita é que Tate tenha forçado as mulheres, sendo uma americana, uma moldava e quatro romenas, a criar conteúdo pornográfico sem consentimento. As seis teriam sido forçadas a participar de vídeos na plataforma de conteúdo adulto Only Fans e no aplicativo TikTok. Os ganhos financeiros seriam destinados aos irmãos Tate em sua totalidade.

Promotores afirmam que Andrew Tate teria atraído as vítimas, em geral mulheres com dificuldades econômicas, por meio de redes sociais, declarando seu amor falsamente e manifestando vontade de se casar.

Em uma decisão judicial divulgada nesta quinta-feira, um magistrado disse que os promotores mostraram que Tate tem uma "atitude de desrespeito em relação às mulheres em geral, que ele só percebe como um meio de obter grandes lucros de maneira fácil". O suspeito deve ficar preso durante 30 dias, conforme determinou um juiz, enquanto a investigação segue sendo feita. Tate negou todas as acusações.

A investigação começou depois que uma mulher de 22 anos disse à polícia que foi detida contra sua vontade em 2022.

Andrew e Tristan Tate tiveram 11 carros de luxo apreendidos pela polícia romena, inclindo um Buggati, um Rolls-Royce, um Aston Martin, um Porsche e duas Ferraris.

Embora a apreensão tenha ocorrido logo após as prisões, as autoridades locais divulgaram a informação apenas nesta quarta-feira. Ramona Bolla, porta-voz da agência de investigação da Romênia, confirmou que os carros foram apreendidos ao portal Insider. De acordo com ela, a frota serve como garantia para custear quaisquer pagamentos que precisem ser feitos às supostas vítimas dos irmãos Tate. A coleção apreendida tem um valor equivalente a 5 milhões de euros (R$ 28,8 milhões).

Além disso, caso seja comprovado que os irmãos tenham adquirido os automóveis por meio de atividades criminosas, os veículos podem acabar sob custódia das autoridades.

Segundo o site TopGear.com, o Rolls-Royce vale pelo menos US$ 300 mil, enquanto o Aston Martin sai por cerca de US$ 250 mil. Já segundo o portal Spy News, da Romênia, o Buggati Chiron é avaliado em cerca de US$ 2,9 milhões.

O Buggati Chiron cor de cobre chamou atenção por ter aparecido numa foto de uma postagem que viralizou no Twitter, quando Tate provocou a ativista ambiental sueca Greta Thunberg. No post, Tate se gabou de ter 33 carros de luxo e forceneu algumas informações sobre os modelos.

"Este é apenas o começo. Por favor, forneça seu endereço de e-mail para que eu possa enviar uma lista completa da minha coleção de carros e suas respectivas enormes emissões (de CO2)", completou.

Greta então respondeu: "sim, por favor me esclareça". E então, finalizou com o comentário que fez sua postagem ultrapassar 3,9 milhões de curtidas: "envie-me um e-mail para energiadepaupequeno@cuidadasuavida.com".

A reação desagradou Tate, que não deixou o assunto morrer e gravou um vídeo zombando novamente de Greta. No entanto, acabou mostrando uma caixa de pizza com as informações sobre a procedência do restaurante, o que teria ajudado as autoridades a localizarem-no.

Tate estava na Romênia e acabou preso. Ambos estavam na mira da polícia desde abril, segundo a "BBC".

"Isso é o que acontece quando você não recicla suas caixas de pizza", escreveu Greta no Twitter no último dia 30.

O ex-kickboxer, um cidadão britânico nascido nos Estados Unidos, lutou profissionalmente e conquistou títulos mundiais, mas ganhou fama em 2016 ao ser expulso do programa de TV britânico Big Brother quando circulou na web um vídeo que parecia mostrá-lo atacando uma mulher com um cinto. Na ocasião, Tate disse que o vídeo havia sido editado. Mais tarde, chamou atenção ao ser banido do Twitter por dizer que mulheres deveriam "assumir a responsabilidade" por serem agredidas sexualmente. No entanto, depois ele teve permissão para retomar o uso de seu perfil na plataforma, conforme ela foi adquirida por Elon Musk. Apesar disso, já foi banido do YouTube, Facebook, Instagram e TikTok por suas postagens misôginas.

De acordo com um relatório da promotoria obtido pela agência de notícias Reuters, há outros dois indivíduos romenos envolvidos com o caso. Eles, Andrew Tate e seu irmão "parecem ter criado um grupo do crime organizado com o objetivo de recrutar, abrigar e explorar mulheres, forçando-as a criar conteúdo pornográfico destinado a ser visto em sites especializados por um custo".