Suposto chefe do PCC é preso em hotel na cracolândia, no centro de SP

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil anunciou ter prendido um chefe da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) durante uma operação em um hotel na região da cracolândia, no centro de São Paulo, na noite de quinta-feira (23).

Anderson Mendes Machado, apelidado de Sistemático, seria a "disciplina do centro velho", ou seja, o responsável por fiscalizar as regras impostas pela facção na região. O homem foi encontrado em um dos quartos do hotel Eclipse, localizado na avenida Rio Branco.

Sistemático era uma dos alvos da Operação Caronte, que tem como foco sufocar o tráfico de drogas na cracolândia. Ele tinha mandado de prisão expedido pela Justiça na operação e já era procurado após fugir do presídio de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. A reportagem não localizou a defesa dele.

Outros dois homens foram presos. Segundo a polícia, eles guardavam 24 porções de crack e duas balanças de precisão. Um adolescente também foi apreendido. Em seu quarto foram encontradas porções da droga. Os suspeitos estavam em cômodos diferentes do hotel.

No total foram apreendidos R$ 538, uma agenda de contabilidade, maconha, faca e estilete.

Um dia antes, policiais civis e guardas-civis metropolitanos haviam realizado uma outra operação na região. A ação se concentrou no recuo de um banco na avenida Duque de Caxias.

Desde a ação que resultou na expulsão de moradores de rua e usuários de drogas da praça Princesa Isabel, em maio, alguns usuários passaram a ficar no local.

A operação ocorre após protestos de moradores do entorno da estação Júlio Prestes promoverem um protesto pedindo mais segurança na região. Os manifestantes chegaram a passar em frente à agência bancária.

Desde a mudança da cracolândia para a rua Helvétia, a polícia tem feito operações seguidas contra o tráfico de drogas e para tentar facilitar a circulação dos moradores da região. No dia 15, por exemplo, a prefeitura utilizou cones e fitas para isolar os dependentes químicos que continuam no quarteirão da rua Helvétia, entre a avenida São João e a alameda Barão de Campinas.

Com isso, usuários de drogas e moradores de rua agora ocupam uma das pistas do lado esquerdo da via, enquanto a outra parte está liberada para o trânsito de automóveis e a passagem de pedestres.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos