Supostos rebeldes muçulmanos matam autoridade e atacam polícia na Tailândia

Policial ao lado de destroços de carro em Narathiwat, Tailândia. 20/02/2015 REUTERS/Surapan Boonthanom

BANGCOC (Reuters) - Pessoas suspeitas de serem insurgentes muçulmanos atacaram a polícia e um escritório do governo no sul da Tailândia nesta terça-feira, matando uma autoridade e fazendo reféns, informou a polícia.

Mais de uma dúzia de homens armados vestidos de preto fizeram 13 civis reféns em um escritório do governo local na província de Narathiwat, disse o investigador da polícia Wongduan Kamsri à Reuters. O chefe do escritório foi atingido na cabeça por três tiros e os reféns sobreviventes fugiram, acrescentou Wongduan.

Nenhum grupo reivindicou responsabilidade imediata pelos ataques. Mas as três províncias tailandesas, Pattani, Yala e Narathiwat, todas de maioria muçulmana, foram assoladas pela instabilidade desde 2004, quando uma rebelião separatista ressurgiu.

À medida que a polícia foi para a cena do ataque desta terça-feira, atiradores abriram fogo contra um veículo e tentaram detonar uma bomba em uma rodovia enquanto outro carro passava, disse Wongduan, acrescentando que nenhum oficial foi ferido.

"Este incidente foi bem planejado e coordenado pelos insurgentes", disse Pramote Prom-in, porta-voz do Comando de Operações Interno de Segurança, liderado pelo Exército.

Mais de 6.500 pessoas foram mortas desde 2004 em episódios de violência no país.

(Reportagem de Patpicha Tanakasempipat e Panarat Thepgumpanat)