Japão segue em alerta após potente terremoto em Osaka que deixou 5 mortos

(Atualiza número de feridos e deslocados).

Tóquio, 19 junho (EFE).- As autoridades japonesas pediram nesta terça-feira aos cidadãos de Osaka que se mantenham em "alerta" com possíveis desabamentos, após o potente terremoto que causou pelo menos cinco mortos e cerca de 400 feridos.

A Agência Meteorológica do Japão advertiu hoje que as fortes chuvas esperadas até quarta-feira na cidade japonesa podem causar "deslizamentos de terra, já que o terremoto amoleceu o terreno".

Neste sentido, o porta-voz do governo japonês, Yoshihide Suga, aconselhou a população para "acompanhar as informações sobre a situação na televisão e no rádio" com a iminência das chuvas.

Em relação às vítimas, o porta-voz confirmou a morte de quatro pessoas, enquanto reconheceu que ainda "não se sabe o número de desaparecidos".

As autoridades da cidade de Takatsuki, uma das mais afetadas, elevaram para cinco o número de vítimas após confirmar horas depois a morte de um homem de 66 anos, enquanto o número de feridos é de 389, segundo os últimos dados da emissora pública japonesa "NHK".

Mais de mil pessoas continuam hospedadas em abrigos temporários nas áreas afetadas, onde hoje ainda eram registrados tremores de menor intensidade, que chegaram a 4 graus na escala Richter.

Segunda cidade mais importante do Japão, Osaka tentava recuperar a normalidade após ter sido sacudida a véspera por um forte terremoto de 6,1 graus na escala Richter, que registrou uma incomum intensidade (um nível 6 na escala fechada japonesa de 7 graus, que descreve a agitação da superfície terrestre).

O serviço de transporte público começou hoje a ser restabelecido, depois que ontem foi suspensa a cerculação de 113 trens balas, o que afetou 230 mil passageiros, enquanto 80 voos foram cancelados.

Algumas cidades vizinhas continuam sem fornecimento de água e gás em suas casas, por isso as localidades próximas prestam socorro aos afetados, enquanto as autoridades continuam investigando quais são as necessidades para levar a ajuda necessária.

Segundo a empresa Osaka Gas, as 110 mil casas que sofreram cortes de gás terão que esperar 10 dias até o serviço ser restabelecido.

O fornecimento de eletricidade, depois de 170 mil casas terem sido afetadas, já voltou a funcionar normalmente.

O terremoto, que danificou pelo menos 470 casas em quatro províncias, causou o desabamento de vários edifícios e pelo menos seis deles fegaram fogo, confirmou o serviço de bombeiros. EFE