Procuradoria venezuelana indicia 7 por danos a prédio do Supremo

Caracas, 11 abr (EFE).- O Ministério Público da Venezuela confirmou nesta terça-feira a detenção de sete pessoas por danos causados à sede da Direção Executiva da Magistratura do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) no município de Chacao, na área metropolitana de Caracas, durante a manifestação do último sábado.

A procuradoria indiciou Alfredo Ocando Rincón, de 33 anos, Miguel Cegarra Mendoza, de 25, Omar López Martínez, de 32, e Larry Klein Aparicio, de 22, pelos delitos de "incêndio, danos violentos, intimidação pública e associação criminosa", detalhou o órgão em um comunicado.

Luis Rodríguez García, de 20 anos, Luis Ospino Ortega, de 22, e Kevin Hernández Colmenares, de 24, também foram indiciados pelos mesmos delitos.

As sete pessoas detidas permanecerão reclusas na sede do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas do município de Libertador, também na área de Caracas.

Além disso, a procuradoria também indiciou dois menores de idade, um de 15 e outro 17 anos, pelos delitos mencionados anteriormente.

No entanto, para estes jovens foi ditada uma "medida cautelar de apresentação a cada 15 dias e a proibição de participar de qualquer tipo de manifestação".

O Ministério Público detalhou que no sábado passado estas pessoas estavam se manifestando em uma das principais avenidas de Caracas, "quando se aproximaram da fachada da citada dependência do Tribunal Supremo de Justiça e começaram a provocar danos".

Por isso, nesse momento, os sete homens e os dois adolescentes foram detidos por funcionários da Guarda Nacional Bolivariana e da Polícia Nacional Bolivariana.

No sábado, milhares de opositores tentaram, pela terceira vez sem sucesso na última semana, marchar até a Defensoria Pública, no oeste de Caracas, mas seu acesso foi impedido por agentes da força pública que usaram jatos de água, balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersar a manifestação. EFE