Surfista que matou militar em batida de carro consumiu mais de R$ 800 em vodka e energético antes do acidente

O Globo
·1 minuto de leitura

RIO — O laudo de exame de local de acidente de trânsito, produzido pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), concluiu que o surfista de ondas grandes Felipe Cesarano, conhecido como Gordo, consumiu mais de R$ 800 em vodka e energético antes de colidir de frente, ao volante de seu carro, com o veículo do sargento da Marinha Diogo da Silva, na Autoestrada Lagoa-Barra, em São Conrado, em 16 de dezembro do ano passado.

De acordo com o documento, o surfista trafegava a 123km/h, sendo 80km/h a velocidade permitida na via. Momentos antes da batida, segundo a perícia, ele chegou a atingir 144km/h. Diogo morreu no local do acidente.

Felipe Cesarano está sendo indiciado por homicídio doloso.

Leia aqui a matéria completa exclusiva para assinantes.