Surto de coronavírus em acampamento de verão nos EUA infectou 260 crianças e funcionários

O YMCA Camp High Harbour, em Lake Burton, no condado de Rabun, na Geórgia: surto infectou 260 pessoas

Enquanto as autoridades dos Estados Unidos lutam para ajustar os planos de reabrir as escolas, um novo relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), analisando a taxa de transmissão em um acampamento de verão na Geórgia, sugere que a propagação do novo coronavírus entre os estudantes é inevitável. O documento revelou que centenas de crianças foram infectadas pela Covid-19 em apenas alguns dias.

Das 597 pessoas que participaram do evento, entre crianças e funcionários, 344 foram examinadas e 260 receberam o resultado positivo para a Covid-19: 76% dos testados ou 44% do total de participantes. Dos 260 infectados, 231 tinham menos de 18 anos, quase metade do total das 509 crianças no acampamento. A faixa etária com mais exames positivos era de 6 e 10 anos. Outras 29 pessoas com mais de 18 anos, das 89 presentes, testaram positivo, segundo o relatório. Não foi divulgado se algum caso progrediu para hospitalização.

Todas as crianças e membros da equipe do YMCA Camp High Harbour, em Lake Burton, no condado de Rabun, tiveram que apresentar exames negativos para Covid-19 antes do evento, uma espécie de colônia de férias. Mas isso não impediu o surto. O documento do CDC ressalta que duas recomendações importantes, além dessa, não foram adotadas pela organização: a obrigatoriedade do uso de máscaras - exigidas apenas dos funcionários - e a manutenção de janelas e portas abertas para aumentar a ventilação.

"Grupos relativamente grandes dormindo na mesma cabine e participando de cantorias regulares provavelmente contribuíram para a transmissão. O uso de máscaras, que demonstrou reduzir o risco de infecção, não era universal", afirma o relatório.

A programação, que deveria durar seis dias, acabou bem antes da hora: três dias após o início do acampamento, um adolescente que atuava como conselheiro testou positivo, e as crianças começaram a ser mandadas de volta para casa. O High Harbour foi fechado definitivamente três dias depois disso, em 27 de junho, e uma outra edição da colônia de férias, em localidade diferente, também foi cancelada. O Departamento de Saúde Pública da Geórgia foi notificado e iniciou uma investigação. Recomendou que todos os participantes fossem testados e se autoisolassem se tivessem resultado positivo.

Nosso objetivo é criar um local seguro e atraente para os usuários se conectarem a interesses e paixões. Para melhorar a experiência de nossa comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários dos artigos.