Suspeita de mais de 30 golpes furtou TV e sofá de apartamento após ser solta, diz dono de imobiliária

O proprietário de uma imobiliária que alugou um apartamento para Tarinni Torres Cavalcanti, conhecida como Tata Torres, a acusa de ter furtado uma televisão de 50 polegadas, um sofá de três lugares, uma mesa de centro e um aparelho de ar-condicionado. Em petição ao juiz Marco Jose Mattos Couto, da 1ª Vara Criminal do Fórum de Jacarepaguá, os advogados do empresário pedem que o promotor Eduardo Paes Fernandes adite a denúncia contra a moça por tentativa de furto de uma cabeceira, um criado-mudo, um espelho e duas madeiras de rack, acrescentando esses outros objetos que teriam sido levados do imóvel. Ela responde ainda por mais de 30 casos de estelionato e outras fraudes, sobretudo contra o mercado imobiliário.

Veja vídeo: Polícia prende mulher acusada de dar golpes no mercado imobiliário no Rio

Tata Torres: Jovem suspeita de aplicar mais de 30 golpes é proibida de deixar o Rio sem autorização judicial

"Golpe do motoboy": Preso por chefiar quadrilha de estelionatários é só um 'jovem empresário', diz defesa de ex-noivo de blogueira

De acordo com o documento, Tata Torres procurou a imobiliária, em 27 de abril de 2021, apresentando-se como Karine e demonstrando interesse em alugar um apartamento, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ela teria dito que o imóvel seria para sua mãe adotiva, que estaria de mudança de São Paulo e apresentou cópia de um suposto documento de identidade dela. Já no mês seguinte, entretanto, não houve pagamento e a moça ainda enviou um comprovante falso da transação bancária.

Diante da inadimplência da locação e da falsidade do comprovante de pagamento, funcionários da imobiliária decidiram apurar a veracidade de toda a documentação disponibilizada por Tata Torres e localizaram a dona da verdadeira identidade da mulher apresentada por ela como sua mãe adotiva. A vítima é moradora de São Paulo, afirmou não conhecê-la e registrou um boletim de ocorrência naquela cidade relatando que teve seus documentos falsificados e fora realizado um contrato imobiliário em seu nome sem a sua anuência.

Passagens por vários estados: Estelionatários presos no Rio viajavam pelo país esbanjando dinheiro do crime

Cartões clonados: Influencer presa por estelionato faz acordo para pagar prejuízo de golpe e Justiça determina arquivamento do inquérito

Operação Calígula: Após a prisão, delegada Adriana Belém ganha seguidores nas redes sociais

Com as informações colhidas, o proprietário da imobiliária procurou a 32ª DP (Taquara) e ajuizou contra Tata Torres uma ação de reintegração de posse relativa ao apartamento alugado por ela. A moça então planejou uma mudança, para a tarde de 30 de setembro de 2021, contratando um caminhão para desocupar o imóvel, mas foi presa em flagrante por tentar furtar móveis do local. Na ocasião, foi apresentado um laudo de vistoria que mostra alguns dos bens da unidade já no veículo. Aos policiais militares acionados, os funcionários da transportadora confirmaram que o serviço foi solicitado por ela.

“Mas não é só. No mesmo dia em que foi presa em flagrante pelo furto de parte dos móveis, após ter tido a sua prisão em flagrante relaxada, a acusada retornou ao apartamento”, escrevem os advogados Paulo Klein e Felipe Azeredo na petição, mencionando a lista de itens que teriam sido levados por ela. Tatá Torres teria alegado a funcionários do condomínio que os objetos estavam no conserto e se comprometido a devolvê-los posteriormente, o que nunca ocorreu.

'Faraó dos Bitcoins': Justiça dá ultimato para GAS informar crédito para pagar investidores

Mesmo preso: 'Faraó dos Bitcoins' anuncia pré-candidatura a deputado federal pelo Rio

Tata Torres chegou a ser presa em flagrante também, por falsidade ideológica e falsa identidade, em 27 de janeiro, por agentes da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI). Na ocasião, a juíza Ariadne Villela Lopes, da 17ª Vara Criminal, não converteu a prisão em preventiva, durante audiência de custódia, por considerar que a conduta criminosa imputada à moça não se caracterizava por violência ou grave ameaça e determinou apenas o comparecimento mensal ao juízo para informar e justificar suas atividades.

Golpe: Casal é preso ao tentar alugar apartamento de luxo por R$ 26 mil em Ipanema com documentos falsos

AutiBank: em disputa por clientes, empresa suspeita de pirâmide chegou a igualar promessa de lucro do 'faraó dos bitcoins'

Ao ser solta, Tata Torres apagou as fotos de seu perfil no Instagram e postou uma passagem bíblica. "Nesta vida sem sentido, eu já vi de tudo: um justo que morreu apesar da sua justiça, e um ímpio que teve vida longa apesar de sua impiedade. Não seja excessivamente justo, nem demasiadamente sábio; por que destruir-se a si mesmo? É bom reter uma coisa e não abrir mão da outra, pois quem teme a Deus evitará ambos aos extremos. A sabedoria torna o sábio mais poderoso que uma cidade por dez valentes. Todavia, não há um só justo na terra, ninguém que pratique o bem que nunca peque. Não dê atenção a todas as pessoas que o povo diz, caso contrário, poderá ouvir seu próprio servo falando mal de você", escreveu.

De acordo com investigações da DRCI, Tata Torres mantinha uma clínica de estética e um apartamento na Barra da Tijuca sem pagar nada de aluguel, dando um grande prejuízo aos seus proprietários. Embora ostentasse uma vida de luxo nas redes sociais, a moça não tinha despesas porque tudo que possuía ou utilizava estava em nome de terceiros. O inquérito aponta que a documentação utilizada era de pessoas próximas, que estudaram com ela ou até com clientes de seu estabelecimento comercial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos