Suspeito de assassinar irmãos por morte de cachorro é preso em Paraty

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O suspeito de ter matado dois irmãos, donos de um restaurante, por suposto envenenamento do cachorro dele após dedetização do local foi preso na madrugada desta terça-feira (13), no bairro São Gonçalinho, a 33 km do centro histórico de Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro.

Policiais militares chegaram até Paulo Cardoso da Costa Júnior após uma denúncia anônima. Ele estava com uma arma no momento da prisão, mas não reagiu, e foi preso por porte ilegal de arma de fogo.

Costa Júnior trabalha como enfermeiro e, segundo a polícia, não tem autorização para o porte de armas. A arma utilizada no crime é uma pistola 9 milímetros.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa do suspeito. De acordo com o delegado Marcelo Russo, titular da 167ª DP (Paraty), até o momento ele não fez contato com algum advogado. Ao ser preso, segundo os policiais militares, ele admitiu ter cometido o duplo homicídio. Costa Júnior irá passar por audiência de custódia, onde deverá ser representado por um defensor público.

Os irmãos Edmar Ribeiro da Silva, 57, e Eduardo Ribeiro da Silva, foram mortos a tiros, na noite de sábado (10), dentro do estabelecimento que mantinham na localidade Areal do Taquari, também em Paraty, a 25 km do centro.

O motivo, de acordo com a Polícia Civil, teria sido uma dedetização contra formigas feita no terreno ao redor do local. O cão de Costa Júnior costumava ficar solto e morreu cerca de cinco dias depois após a dedetização.

"O cachorro do Paulo acabou morrendo e ele passou a imputar aos irmãos a responsabilidade, os acusando de terem matado o cachorro envenenado. No sábado, ele entrou no restaurante e fez uma série de disparos contra os irmãos", disse Russo.

Agora, de acordo com o delegado, é aguardada a decisão judicial sobre a representação da prisão preventiva pelo duplo homicídio.