Suspeito de agredir faxineira não comparece à delegacia para depor

A faxineira Lenirge Alves de Lima, de 50 anos, foi agredida por um homem na última sexta-feira (16) enquanto lavava a calçada (Foto: Getty Images)
A faxineira Lenirge Alves de Lima, de 50 anos, foi agredida por um homem na última sexta-feira (16) enquanto lavava a calçada (Foto: Getty Images)

Identificado pela Polícia Civil como agressor da faxineira Lenirge Alves de Lima, o empresário Rafael Ferreira Birro de Oliveira foi intimado a prestar depoimento nesta terça-feira (20), mas não compareceu. A informação é do portal g1.

O advogado que representa os interesses do empresário procurou a delegada responsável pelo caso solicitando uma tratativa para que seu cliente compareça à oitiva e preste depoimento de maneira reservada".

A faxineira Lenirge Alves de Lima, de 50 anos, foi agredida por um homem na última sexta-feira (16) enquanto lavava a calçada em frente a um prédio de luxo no bairro Lourdes, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

A vítima realizou o exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) André Roquetti no último sábado (17). Na segunda (19), ela fez uma representação criminal.

O caso segue no Juizado Especial Criminal e, ainda de acordo com o portal g1, a vítima foi orientada a ir à Justiça, onde será marcada a data da primeira audiência criminal. Segundo a delegada Marina Cardoso Nascimento, o suspeito não tem histórico de outros crimes.

Entenda o caso

Lenirge foi derrubada na calçada e agredida com jatos d'água de mangueira por um homem que caminhava pela Rua Bernardo Guimarães, no bairro Lourdes, próximo a Região Centro-Sul de Belo Horizonte, na manhã da última sexta-feira.

Nas imagens divulgadas, um homem anda pela calçada até ter seu percurso interrompido por Lenirge, que limpa o local.

Após a faxineira perceber a presença dele, Lenirge interrompe a água para permiti-lo passar. Mas, inesperadamente, o homem rouba a mangueira e joga água nela.

"Foi uma coisa que eu não imaginava, estava trabalhando, e veio ele fazendo isso comigo. É triste, porque se a gente não trabalha, é vagabundo. Se trabalha, vem um covarde me agredir. Estou muito revoltada", disse a faxineira, responsável pela limpeza do Edifício Griffe, ao jornal Estado de Minas.

Segundo ela, o homem se aproximou, falou sobre o desperdício de água e a agrediu. Antes que ela pudesse explicar a situação, ele desferiu os ataques.

"Ele parecia 'tranquilo', falando que eu estava gastando água do meio ambiente. Mas quando fui explicar que lá fica sujo, porque é a entrada de uma garagem, ele pegou a mangueira a começou a jogar água em mim", afirmou Lenirge.

"Não me deixou nem explicar o que estava fazendo. Do nada, jogou água no meu rosto, não deixou me defender. Em seguida, puxou a mangueira, e eu caí. Ele continuou jogando água e depois foi embora".