Suspeito de matar ex-namorada se diz arrependido: ‘Fui covarde’

Jovem foi morta a facadas na própria residência - Foto: Arquivo Pessoal
Jovem foi morta a facadas na própria residência - Foto: Arquivo Pessoal

Thales Thomás do Vale, de 29 anos, preso suspeito de assassinar a ex-namorada a facadas na Região do Barreiro, em Belo Horizonte, afirmou, na manhã desta sexta-feira (5), que está arrependido do crime.

A declaração foi feita no momento em que o acusado saía de um batalhão da Polícia Militar e era levado para a delegacia.

"Estou arrependido. Fui covarde", disse Thales.

A ex-namorada do suspeito, Emilly Luíza Ferrete Fernandes, de 25 anos, foi atacada dentro de casa. Ela chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos provocados por dez golpes.

O criminoso foi preso no fim da madrugada desta sexta em um motel da Região Oeste da capital, após denúncia.

Segundo o subtenente Antônio Honorato, do 5º Batalhão de Polícia Militar, a atendente do hotel reconheceu Thales assim que ele chegou no local.

"A Polícia Militar, com o seu serviço de inteligência, continuou as buscas para a localização de Thales. Hoje, por volta de 5h30, chegou uma notícia via 190 que Thales estaria hospedado em um motel no bairro Betânia. A atendente reconheceu Thales como sendo o autor do feminicídio de Emilly", explicou o subtenente.

Os militares foram até o local e bateram na porta de um dos quartos e foram recebidos pelo homem, que reagiu à prisão e precisou ser imobilizado e algemado.

"A prisão causou algumas escoriações e ele foi atendido na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Neste quarto de motel foi apreendido com ele certa porção de maconha. Depois que cometeu o feminicídio, ele evadiu e se hospedou nesse motel por volta das 15h ficando até hoje", detalhou o policial.

Ainda assim, o acusado não revelou onde escondeu a faca usada no crime, mas disse que pegou o objeto na casa da vítima. O tênis dele foi apreendido com manchas de sangue.

Segundo o subtenente Thales assumiu a autoria do assassinato.

"Ele assumiu a prática do crime, alegou que não foi por causa do término do relacionamento. No dia anterior, a Emilly estava na companhia dele, na casa dele e eles tiveram uma discussão por causa de ciúmes. No dia seguinte, ele foi tentar reatar o namoro", contou o subtenente.

Thales morava nos Estados Unidos há cerca de um ano e trabalhava como mergulhador.

"Ele conheceu Emilly através de redes sociais e veio para o Brasil para conhecê-la e, após conhecê-la, ele ficava entre Brasil e Estados Unidos. E, dessa vez, ele veio para fazer um curso de tatuador em Belo Horizonte.

Thales não tinha antecedentes criminais. O homem vai ficar à disposição da Justiça e, caso seja condenado, pode pegar até 30 anos de prisão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos