Suspeito de participar de sumiço de jornalista e indigenista nega envolvimento

Indigenista Bruno Pereira e jornalista Dom Phillips estão desaparecidos na região do Vale do Javari, no Amazonas (Foto: Reprodução)
Indigenista Bruno Pereira e jornalista Dom Phillips estão desaparecidos na região do Vale do Javari, no Amazonas (Foto: Reprodução)

Resumo da notícia

  • Suspeito de ter participado de desapareicmento de jornalista e indigenista nega participação

  • Amarildo de Costa Oliveira prestou depoimento e casa dele foi alvo de buscas

  • Na residência, foram encontradas munições e chumbinho

Suspeito de envolvimento no desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips, Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como “Pedalo”, negou que tenha qualquer relação com o ocorrido.

Oliveira prestou depoimento ao delegado titular da 50ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), Alex Perez. “A única situação que ele acompanhou foi quando a embarcação que Bruno e Dom Philips estavam conduzindo passou em frente a sua comunidade. [Ele fez] contato visual apenas”, declarou o delegado ao portal g1.

Autoridades foram até a casa de Amarildo de Oliveira para fazer buscas, após receber denúncias anônimas de que ele teria participado do desaparecimento de Pereira e Phillips. Ao g1, o delegado revelou que foram encontrados munição de uso restrito, chumbinho e outra substância entorpecente.

O homem foi preso por posse de munição de uso restrito e permitido e o chumbinho que estava com ele foi apreendido pelas autoridades. Sobre o envolvido dele no desaparecimento do indigenista e do jornalista, a Polícia Civil declarou que “as equipes de investigação irão apurar se a informação procede”.

Segundo o g1, outras duas ou três pessoas ainda devem ser ouvidas na delegacia nesta quarta-feira (8). A Polícia Civil do Amazonas instaurou um inquérito para apurar o caso. Até a última terça (7), seis pessoas já tinham sido ouvidas, sendo cinco testemunhas e um suspeito.

Bilhete com ameaças

Bruno Araújo Pereira, indigenista que está desaparecido desde o último domingo (5) com o jornalista britânico Dom Phillips, recebeu um bilhete com uma ameaça. Segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo, o recado foi entregue ao escritório que representa a organização na qual Pereira era voluntário, em Tabatinga, no Amazonas.

“Sei quem vocês são e vamos achar para acertar as contas”, diz o bilhete, revelado pelo Estadão. “Sei que quem é contra nós é o Beto Índio, e o Bruno da Funai é quem manda os índios irem prender nossos motores e tomar os nossos peixes. (...) Se querem dar prejuízo, melhor se aprontarem. Está avisado.”

Sem assinatura, o bilhete foi endereçado ao advogado Eliesio Marubo, assessor jurídico Eliesio Marubo, da organização indígena União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja).

Nesta quarta-feira (8), equipes realizam o terceiro dia de busca pelo jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, e o indigenista Bruno Araújo Pereira, da Fundação Nacional do Índio (Funai), que desapareceram no Vale do Javari, na Amazônia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos