Suspeito de massacre em fazenda na Califórnia pode receber pena de morte

O suspeito de matar sete de seus colegas trabalhadores rurais e ferir outro na Califórnia pode enfrentar a pena de morte por homicídio múltiplo, informou um promotor nesta quarta-feira (25), quando o homem compareceu pela primeira vez ao tribunal.

Zhao Chunli, 67, foi preso na segunda-feira em Half Moon Bay, uma comunidade ao sul de San Francisco, logo após dois ataques a fazendas próximas.

Cinco homens e duas mulheres, todos de origem asiática ou latina, foram mortos nos ataques.

Zhao chegou ao tribunal algemado e vestindo o uniforme laranja do sistema prisional.

O homem deve responder por sete acusações de homicídio e uma tentativa de homicídio, agravadas por porte de arma de fogo e homicídio múltiplo.

Um tradutor de mandarim participou da audiência, que foi adiada a pedido da defesa de Zhao.

O suspeito deve retornar ao tribunal no dia 16 de fevereiro para ser formalmente acusado, por decisão da juíza Susan Jakubowski, que também determinou sua prisão preventiva sem direito a fiança.

- Três mexicanos entre as vítimas -

O promotor distrital do condado de San Mateo, Stephen Wagstaffe, disse à mídia local que, devido aos fatores agravantes, Zhao pode pegar prisão perpétua ou até ser condenado à pena de morte.

"Esta decisão será tomada depois que a investigação terminar e soubermos o máximo possível sobre o senhor Zhao", disse Wagstaffe ao San Francisco Chronicle.

A xerife do condado de San Mateo, Christina Corpus, disse na terça-feira que o suspeito parecia conhecer suas vítimas.

"Todas as indicações apontam para um caso de violência no local de trabalho", afirmou Corpus.

Zhao é um cidadão chinês que vive na região há pelo menos uma década, incluindo sete anos em uma fazenda de cogumelos onde o ataque começou, informou o jornal San Jose Mercury.

O capitão Eamonn Allen informou na terça-feira que o escritório da xerife trabalhava para fornecer apoio à esposa do suspeito.

"Eles moravam juntos na propriedade, então há grande preocupação de retaliação ou reação contra ela", disse Allen ao San Jose Mercury.

Informações da justiça e do serviço forense revelam que cinco dos mortos tinham nomes chineses.

Os consulados chineses em San Francisco e Los Angeles ainda não responderam a questionamentos da AFP.

O consulado mexicano em São Francisco confirmou que duas vítimas eram mexicanas. A representação diplomática informou à AFP que um terceiro mexicano ficou ferido e está recebendo atendimento médico em um hospital da cidade de Palo Alto.

- Visita da vice-presidente -

Os ataques em Half Moon Bay aconteceram menos de 48 horas depois de um tiroteio no sábado em Monterey Park, a poucos quilômetros do centro de Los Angeles, no qual um homem asiático matou 11 pessoas em um estúdio de dança.

O homem de 72 anos, identificado como Huu Can Tran, suicidou-se horas depois, quando a polícia se aproximou de sua caminhonete.

Acredita-se que ambos os agressores tenham usado armas semiautomáticas.

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, visita Monterey Park nesta quarta-feira, onde deve se reunir com parentes de algumas das vítimas, informou seu gabinete.

Os dois episódios deixaram a grande comunidade asiático-americana da Califórnia perplexa, enquanto procuram entender as motivações por trás dos ataques.

Também reacenderam a indignação pública sobre a postura negligente sobre o controle de armas nos Estados Unidos. O governador da Califórnia, Gavin Newsom, criticou os legisladores federais por não abordarem o problema.

"O que diabos há de errado conosco, que permitimos essas armas de guerra e pentes de alta capacidade nas ruas e calçadas?", questionou Newson na terça-feira em Half Moon Bay.

"Só nos Estados Unidos. Número um em posse de armas. Número um em mortes por armas. Não é tão complicado", acrescentou.

hg/pr/ad/am/ic