Suspeito de matar PM em assalto é preso e depois solto, diz polícia

ALFREDO HENRIQUE
Os dois irmão são acusados de atirar e matar o PM Fábio Júnior Lisboa, 33 anos, que estava de folga no momento do crime. (Foto: Reprodução)

Um dos suspeitos de matar um soldado da Polícia Militar nesta terça-feira (16), durante um assalto, foi preso pela PM, por volta das 18h desta quarta-feira (17), mas acabou solto, por volta das 8h desta quinta-feira (18) por decisão judicial, segundo a polícia. O crime ocorreu no Capão Redondo (zona sul da capital paulista).

Segundo a polícia, o suspeito preso, de 22 anos, foi identificado por algumas das vítimas que estavam no bar onde ocorreu o assalto. O irmão dele, também já identificado pela Polícia Civil, é acusado de atirar e matar o PM Fábio Júnior Lisboa, 33 anos, que estava de folga no momento do crime.

Leia também

A defesa do suspeito não foi encontrara até a publicação desta reportagem. As circunstâncias em que o outro acusado foi detido não foram divulgadas.

O delegado Bruno Barros, do 92º DP (Parque Santo Antônio), confirmou que o suspeito preso foi solto por decisão judicial. "Porém, o outro criminoso, irmão do que foi liberado, teve a prisão temporária decretada. Por isso, ele é considerado foragido", afirmou.

Segundo imagens de uma câmera de monitoramento, os dois irmãos entraram no bar e anunciaram o assalto. O que está foragido, com arma em punho, ameaçou as vítimas, enquanto retirava objetos dos bolsos dos clientes, da mesma forma que o outro ladrão, que estava desarmado nas imagens.

A ação da dupla durou cerca de um minuto e meio, quando Lisboa entra no bar com uma arma em punho. Ainda segundo a câmera de monitoramento, o policial dá dois disparos e, em seguida, a captação das imagens é interrompida.

De acordo com boletim de ocorrência, o soldado teria anunciado ser policial quando entrou armado no comércio. Na sequência, o ladrão que portava uma arma reagiu e atirou duas vezes contra o soldado. A dupla de criminosos fugiu em seguida, correndo. Lisboa foi levado ao hospital do M'Boi Mirim, na zona sul, mas não resistiu.

O delegado do 92º DP acrescentou que os dois irmãos já contam com passagens anteriores por roubo.

RESPOSTA

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de SP) afirmou por e-mail que o suspeito acusado de participar do assalto, que culminou na morte do PM, não esteve em nenhuma audiência de custódia.

A reportagem explicou que o criminoso foi solto, antes mesmo da realização da audiência. Porém, o TJ não explicou os motivos para a soltura do acusado até a publicação desta reportagem.