Suspeito mostrou locais onde corpos estavam enterrados e embarcação foi naufragada, diz PF

O superintentende da Polícia Federal no Amazonas, Eduardo Alexandre Fontes, informou que Amarildo da Costa Oliveira, o 'Pelado', cofessou a participação no crime na noite desta terça-feira e que levou os agentes aos locais onde os corpos estavam enterrados e também onde a embarcação de Bruno Peireira e Dom Phillips havia sido naufragada.

Conforme anunciou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, "remanescentes humanos" foram encontrados. No entanto, as escavações seguem no local, segundo Fontes.

— A nova etapa é a fase de identificação dos remanescentes humanos. Eles serão encaminhados amanha para Brasilia onde será realizada a perícia que descobrirá a causa da morte e as circunstâncias do crime — afirmou o superintendente.

Fontes afirmou ainda que “novas prisões devem ocorrer a qualquer momento”.

— Esse é o trabalho de inteligência. Não podemos falar, mas já temos uma linha principal para desvendar as causas do crime — afirmou.

Fontes classificou a área como de "dificílimo acesso". Segundo ele, a distância até Atalaia do Norte era de uma hora e quarenta minutos de voadora e mais 25 minutos de caminhada mata a dentro.

— Já sabemos onde está a embarcação, mas ainda não conseguimos ir lá ainda hoje. Vamos amanhã — disse Fontes.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, afirmou na noite desta quarta-feira que "remanescentes humanos" foram encontrados no local onde são feitas buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e pelo jornalista inglês Dom Phillips. Os dois foram vistos pela última vez em 5 de junho. Mais cedo, os principais suspeitos do crime confessaram participação no assassinato das vítimas.

"Acabo de ser informado pela Polícia Federal que 'remanescentes humanos foram encontrados no local, onde estavam sendo feitas as escavações'. Eles serão submetidos à perícia. Ainda hoje, os responsáveis pelas investigações farão uma entrevista coletiva em Manaus", informou o ministro, no Twitter.

Os dois suspeitos presos pelo desaparecimento do indigenista brasileiro Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips confessaram nesta quarta-feira o assassinato das vítimas. Oseney da Costa Oliveira, o Dos Santos, foi o primeiro a admitir o crime. Depois, seu irmão, Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado, também assumiu participação nas mortes. A polícia levou um investigado para a área de buscas pelas vítimas, que não são vistas desde o dia 5 de junho. Investigadores ligados ao caso confirmaram a informação ao GLOBO.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos