Swing & Simpatia se prepara para reencontrar os fãs em show e gravar EP

Cíntia Cruz
·3 minuto de leitura
Foto: Cléber Júnior
Foto: Cléber Júnior

Um retorno no melhor clima saudosista para lembrar os primeiros dos 25 anos que estão sendo comemorados em 2020. Após meses longe dos grandes palcos, devido à pandemia do novo coronavírus, o Swing & Simpatia se prepara para fazer uma roda de samba praticamente no quintal de casa. O reencontro com os fãs será nesta segunda-feira, dia 9 de novembro, na Mineira do Rancho, no Rancho Novo, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, onde os músicos moram. E a noite será inspirada no evento que eles fizeram por oito anos na antiga Rio Sampa, a Segunda Sem Lei. Mas, calma! Apesar do nome, eles garantem que todas as regras de segurança e as medidas sanitárias contra a Covid-19 serão tomadas, a começar pelo limite de público: a casa comporta 600 pessoas, mas, no dia da apresentação, no máximo 300 estarão presentes.

— Decidimos voltar depois que começou a retomada, mas seguindo todas as normas. A gente precisa trabalhar porque muitas pessoas dependem do nosso trabalho — explica Luciano Becker, vocalista do grupo.

Nos últimos meses, o Swing fez três lives, sendo uma delas solidária, lembra Becker:

— A última live ajudou cinco instituições da Baixada. Fizemos contato com empresas que aderiram à causa com a gente. Foi um presentaço proporcionar sorriso no rosto das pessoas.

Agora, tudo o que o grupo quer é ver os fãs de perto. Ok, não tão perto ainda, por causa do tão necessário distanciamento social. Mas o suficiente para sentir a energia do público, a mesma que serviu de combustível para que eles chegassem aos 25 anos de carreira com todo o vigor de quando começaram.

— Nesse período (de isolamento), sentimos muita falta de estar com as pessoas, do carinho dos fãs — entrega Becker, que, sobre o próximo show, adianta: — Ele vai retratar a época em que ainda tocávamos no Pagode da Sobel, no Rancho Novo, no início da carreira. Lá (no show), é o público que manda!

As clássicas “Toda noite eu”, “Me redimir”, “Preciso desabafar” e “Namorada nota dez” certamente estarão no repertório, já que sempre são exigidas pelos fãs, segundo o tecladista Maicon Simpatia. E ele afirma:

— Não tem roteiro. Além das nossas músicas, cantamos Zeca, Ferrugem, Xande de Pilares, Fundo de Quintal, Sorriso Maroto e outros gêneros que vamos transformar em samba.

A roda de samba de segunda-feira vai ser o início de um projeto maior que o Swing & Simpatia pretende lançar. Em breve, o grupo vai entrar em estúdio para gravar um EP, que deve ficar pronto ainda em 2020.

— A gente está escolhendo o repertório para gravar. Muitas pessoas estavam cobrando, e, no fim de 2019, já estávamos conversando, mas veio a pandemia e demos uma segurada — explica Becker, que anuncia, ainda sem muitos detalhes, outra novidade: — Vamos fazer um projeto em que possamos cantar aquilo que vem em nosso corações. Sambas e outros gêneros adaptados no samba. A roda desta segunda-feira vai ter um gostinho do que vem por aí.

O show desta segunda-feira, dia 9 de novembro, começa às 23h, mas a casa abre às 19h. O endereço da Mineira do Rancho é Rua Luiz Sobral 1.225, no bairro Rancho Novo, em Nova Iguaçu. O ingresso para a apresentação custa R$ 20, e a classificação é 18 anos. Mais informações pelo telefone (21) 2657-4411.