Sydney abre festas de Ano Novo e África do Sul oferece esperança sobre Ômicron

·2 min de leitura
Comemoração da chegada de 2022, em Sydney, Austrália.

Por Renju Jose e Sisipho Skweyiya

SYDNEY/CIDADE DO CABO (Reuters) - Os australianos se despediram de 2021 com uma tradicional exibição de fogos de artifício no porto de Sydney, enquanto boas notícias vieram da África do Sul - o primeiro país atingido pela onda da variante Ômicron - com esperança de um feliz Ano Novo.

Devido à Omicron, o Ano Novo começou seu ciclo anual do Oriente para o Ocidente silenciosamente - sem nenhuma exibição oficial de fogos de artifício em Auckland, na Nova Zelândia.

Sydney abriu a celebração global em estilo vintage, com sua espetacular pirotecnia refletida na Ópera de Sydney. Mas não haverá apresentações em muitos dos marcos tradicionais do mundo, com fogos de artifício cancelados no Arco do Triunfo de Paris, no Big Ben de Londres e nas Torres Petronas em Kuala Lumpur.

Na Times Square de Nova York, a multidão gritando a contagem regressiva para a saída do ano será um quarto do tamanho usual, com as pessoas de máscara, socialmente distanciadas e com os papéis da vacina nas mãos.

Ainda assim, a África do Sul, que primeiro alertou sobre a nova variante do coronavírus, deu ao mundo uma das últimas boas notícias do ano, anunciando que a onda de Ômicron atingiu o pico sem um grande aumento de mortes. O país suspendeu abruptamente o toque de recolher noturno, permitindo as celebrações para 2022.

"Tenho quase certeza de que será incrível. Só espero que a Cidade do Cabo volte para a velha Cidade do Cabo que todos nós conhecíamos", disse Michael Mchede, gerente de um café Hard Rock nas areias brancas de Camps Bay, empolgado ao se ver preparando o local para uma festa inesperada.

A chegada repentina da Ômicron elevou as contagens de casos para níveis recordes em países ao redor do mundo. Embora as mortes não tenham aumentado tão rápido, deixando a esperança de que a nova variante seja mais branda, muitos países impuseram restrições para evitar que os sistemas de saúde fiquem sobrecarregados. Mesmo onde as reuniões são permitidas, muitas pessoas optaram por ficar em casa.

No Le Querida, restaurante do bairro de Pozuelo, em Madri, apenas quatro mesas de duas dúzias foram reservadas para a véspera de Ano Novo. O lugar estava quase lotado à noite apenas algumas semanas atrás, antes que a Ômicron aniquilasse os negócios, disse o garçom Juan Lozano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos