'Ela estava alterada e ficou no meio caminho, numa ponte', teria dito namorado de jovem morta à mãe da vítima

A técnica de enfermagem Rita Nogueira, de 27 anos, foi encontrada morta na tarde de terça-feira, em Bento Ribeiro, Zona Norte do Rio. A jovem era funcionária de uma UPA de Nilópolis, na Baixada Fluminense, e estava desaparecida havia dois dias. Segundo parentes, principal suspeito pelo crime é o namorado da vítima, última pessoa com quem foi vista.

‘Achei que fosse cair’, diz autor de vídeo com choque entre navio e a Ponte Rio-Niterói

Justiça já havia determinado a remoção de navio da Baía de Guanabara por risco à Ponte Rio-Niterói

De acordo com a cunhada de Rita, Yasmin Santos, a família sentiu falta da jovem no fim da tarde de segunda-feira, pois não respondia as mensagens:

— Minha sogra mandou uma mensagem no Instagram dele. A gente não tinha o contato dele, ele nunca chegou a conhecer a família. Ele disse para ela que estava muito preocupado, desesperado, que não sabia da Rita. Disse que ela estava alterada na noite anterior (domingo) e que ela ficou no meio caminho, numa ponte, em Ricardo de Albuquerque. Passamos a desconfiar naquele momento. Quem está desesperado com um desaparecimento e nem comunicada nada à família?

Rita namorava o acusado havia pouco mais de um mês, e, segundo a cunhada, o homem não tinha sido apresentado à família.

— Não sabemos para onde foram ou iam naquela noite. A família está destruída com isso, meus sogros estão destruídos. Não sei nem explicar como foi o momento em que souberam da morte. A família acabou

De acordo com a cunhada, Rita nunca mencionou violência, mas já havia comentado sobre um comportamento possessivo do companheiro.

— Nunca falou sobre violência, já chegou a falar comigo que ele era possessivo e grudento, que ela não queria mais ficar com ele. Mas nunca de ser violento — conta a Yasmin.

O corpo da vítima, ainda de acordo com parentes, foi encontrado pela polícia em uma casa abandonada, que pertence à família do acusado.

Rita era a mais velha de três irmãos. Ela trabalhava como técnica de enfermagem na UPA de Nilópolis e na Maternidade Leila Diniz, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da capital fluminense, onde conheceu o namorado, que atua como enfermeiro.