Polícia suspeita que técnica de enfermagem que aplicou "vacina de vento" queria desviar dose

Rodrigo Viga Gaier
·2 minuto de leitura
Profissional de saúde segura frasco de vacina contra Covid-19 no Rio de Janeiro

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Uma técnica de enfermagem que aplicou uma seringa sem a vacina contra Covid-19 em um idoso em Niterói (RJ) agiu conscientemente e provavelmente tinha a intenção de desviar a dose para vendê-la ou para beneficiar alguma pessoa próxima, disse nesta quinta-feira o delegado que investiga o caso da chamada "vacina de vento".

A técnica foi indiciada por peculato e crime sanitário, depois que o momento em que a vacina deveria ter sido aplicada foi registrado por parentes do idoso que perceberam a falsa aplicação.

“A nossa conclusão foi pelo indiciamento dela com base no vídeo e com o depoimento. Ficou bem claro que ela tinha consciência do que estava fazendo“, disse à Reuters o delegado Luiz Henrique Marques.

“Essa conduta não é razoável e só pode ter sido para desviar a vacina ou para terceiros ou para proveito próprio“, afirmou, acrescentando que a técnica ainda pode ser incluída no crime de estelionato se ficar comprovado o desvio com intuito de beneficiar um terceiro ou para um fim comercial.

O inquérito sobre o caso foi encaminhado nesta quinta ao Ministério Público, que decidirá se vai oferecer denúncia contra a profissional à Justiça.

A técnica de enfermagem, que segundo a polícia alegou cansaço para justificar o erro, já havia sido afastada das suas funções e a prefeitura de Niterói providenciou a vacinação correta do idoso. Os idosos são o principal grupo de risco para a Covid-19, doença que já matou mais de 242 mil pessoas no Brasil.

Outros casos de falsa aplicação da vacina também são investigados na cidade do Rio de Janeiro e em Petrópolis, na região serrana do Estado

"Nesta semana os envolvidos devem prestar depoimento. Se as investigações confirmarem que houve desvio de dose ou qualquer outra irregularidade, o profissional de saúde poderá ser autuado pelo crime de peculato", disse a polícia.

O Conselho Regional de Enfermagem também investiga casos de falsa aplicação de vacina contra Covid-19 no Estado do Rio de Janeiro.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)