Típicas de Bali, as tigelas geladas com frutas e ingredientes funcionais viram hits do verão

Carol Zappa

Lindos, coloridos, nutritivos e instagramáveis. Sensação nas redes sociais, os bowls (ou tigelas, em bom português) gelados com frutas batidas e os chamados superalimentos (ricos em fibras, proteínas e minerais) ganham versões no Rio. Inspirada no estilo dos cafés de Bali, a engenheira ambiental Renata Simão abriu o Nusa Café, em Ipanema. Estrelas do brunch, os bowls são preparados com açaí, pitaya ou matchá, e podem levar pasta de amendoim, granola, castanhas, lascas de coco e mirtilo.

Foi também de uma viagem à Indonésia que a chef Tati Lund, do .Org Bistrô, teve a ideia de criar o superbowl, que em uma mesma cumbuca mistura pudim de chia com especiarias, cremes de manga com cúrcuma e de frutas vermelhas com manjericão, sementes, nibs de cacau, coco e tâmaras. “Lá tem essa fartura de bowls coloridos, superfrescos, um mais lindo que o outro e cheios de nutrientes e benefícios”, conta a chef, que lançou ainda uma coleção de bowls salgados.

No Bibi Sucos, além do açaí, há versões com juçaí, abacate, manga, banana e pitaya, batidos com sorvete de nata, que podem ganhar a companhia de whey protein. A chef Nathalie Passos lançou em janeiro no Naturalie Bistrô um menu de bowls à base de spirulina azul. Entre os toppings, chia, flor dente-de-leão e a famosa granola da casa. “É um prato versátil e completo, para sobremesa ou lanche reforçado, e a spirulina ajuda na imunidade, ótimo para tempos de pandemia”, aposta.