Tóquio-2020 tem nova presidente: medalhista olímpica aceita convite faltando cinco meses para os Jogos

O Globo, com agências internacionais
·1 minuto de leitura

Seiko Hashimoto é a nova presidente do Comitê Organizador de Tóquio-2020, em substituição a Yoshiro Mori, que renunciou na semana passada após o escândalo provocado por comentários sexistas. Hashimoto ocupava o cargo de Ministra Olímpica e foi nomeada em reunião do Comitê Executivo realizada nesta quinta-feira. Pouco antes do anúncio, ela apresentou ao primeiro-ministro Yoshihide Suga sua demissão como ministra do governo.

— Não vou poupar esforços para o sucesso dos Jogos de Tóquio — disse Hashimoto, uma ex-atleta olímpica de 56 anos.— Estou assumindo uma responsabilidade enorme. Sinto que preciso me preparar.

A nomeação acontece a apenas cinco meses dos Jogos, adiados no ano passado devido à pandemia do novo coronavírus.

Hashimoto era considerada a grande favorita para substituir Mori, que renunciou depois da afirmar no início do mês que as mulheres falavam muito nas reuniões, algo que considerava "irritante".

Hashimoto, que desde setembro de 2019 era a ministra responsável pelos Jogos, assim como pela igualdade de gênero, é integrante da Câmara Alta do Parlamento desde 1995. Ela disputou sete Jogos Olímpicos (quatro de inverno e três de verão) nos anos 80 e 90 nas modalidades patinação de velocidade sobre o gelo e ciclismo de pista. Hashimoto conquistou uma medalha de bronze nos Jogos de Inverno de Albertville, na França, em 1992.