Túmulo de Chico Xavier é alvo de vandalismo em Minas Gerais

Reprodução/TV Globo



O vidro blindado que protege o túmulo de Chico Xavier foi alvo de vandalismo na última quinta-feira (18). Um trincado e algumas marcas de pancada foram encontradas na proteção do jazigo, que fica no cemitério São João Batista, em Uberaba, Minas Gerais. Quem faz as acusações é o filho do médium, Eurípedes Higino.

“Levei duas senhoras de manhã pra conhecerem o túmulo. Quando foi depois do almoço, deixei um rapaz do Maranhão na entrada. Ele logo voltou na minha casa e disse que tentaram quebrar, pois tinha até marcas de pé no vidro. Nessa altura, pode tanto ser atitude de drogados, como de intolerância religiosa. Eu pensava que o Chico era respeitado desde as periferias e por pessoas de todas as religiões”, afirmou Higino.

Temendo que o túmulo do médium seja vítima de mais atos de vandalismo, o filho já encomendou com um serralheiro que faça grades para proteger o local. “Ele [Chico Xavier] me dizia que eu teria mais trabalho depois que ele fosse do que com ele vivo. Já roubaram coisas do túmulo e uma senhora minou o local, sendo que ele não era milagroso”, diz ele.

O túmulo e o museu de Chico Xavier recebem em média 2500 visitas por semana segundo o Ministério do Turismo. A agressão ao local acontece na mesma semana em que uma menina candomblecista foi agredida com uma pedrada. Nesta sexta (19), um médium foi assassinado brutalmente no Rio de Janeiro.