Tailandês transmite assassinato da filha pelo Facebook e se suicida

Washington, 25 abr (EFE).- Um tailandês transmitiu pelo Facebook Live o assassinato de sua filha de 11 meses e posteriormente seu suicídio, informaram nesta terça-feira as autoridades tailandesas, algo que eleva a pressão para que a rede social contenha este tipo de imagens.

Uma porta-voz do Facebook indicou à Agência Efe que o vídeo foi eliminado da rede social, apesar de os responsáveis pelo aplicativo terem demorado cerca de 24 horas e as imagens terem sido vistas já centenas de milhares de vezes por pessoas de todo o mundo.

"Este é um incidente horrível e nossos corações estão com a família da vítima. Não há lugar para atos como estes no Facebook. O vídeo foi eliminado", indicou uma porta-voz da rede social, que tem mais de 1 bilhão de usuários.

A Polícia de Phuket disse que Wuttisan Wongtalay, de 20 anos, filmou em dois vídeos que postou no Facebook a morte de sua filha, enforcada em um hotel, para depois fazer o mesmo.

Um dos vídeos mostra como Wongtalay lança sua filha desde o telhado de um hotel em Phuket para depois recuperar o corpo.

Familiares das vítimas assistiram a transmissão do crime e avisaram a polícia local, que encontrou os corpos sem vida do pai e da menina.

As autoridades tailandesas acreditam que o pai considerava que a mãe da menina tinha um amante.

O primeiro vídeo foi visto 112 mil vezes, enquanto que o segundo teve 258 mil visualizações.

As autoridades policiais tailandesas asseguraram que avisaram o Facebook para que apagasse os vídeos, que também foram publicados no Youtube por outros internautas, desde onde foram eliminados 15 minutos depois que os usuários denunciaram o conteúdo como inadequado.

Este fato eleva pressões para que o Facebook imponha medidas que permitam detectar e apagar o mais rápido possível conteúdo violento ou de crimes, depois que há duas semanas um homem matou em Cleveland (Ohio) um pedestre e postou o vídeo na famosa rede social.EFE