Taiwan invade águas territoriais do Japão com dezenas de barcos

25 de setembro de 2012
Barcos de pesca deixam o porto de Ilan, no nordeste de Taiwan, rumo às ilhas Senkaku, no Mar da China Oriental

Ao menos seis navios da guarda costeira de Taiwan, acompanhando dezenas de barcos de pesca, entraram nesta terça-feira nas águas territoriais do Japão em torno das ilhas Senkaku, arquipélago do Mar da China Oriental reivindicado por Taipé, informou a Marinha japonesa.

"Dezenas de barcos pesqueiros entraram em nossas águas, acompanhados por seis navios da guarda costeira de Taiwan", disse à AFP um oficial japonês.

Segundo oficiais japoneses citados pela agência de notícias Jiji, os navios da guarda costeira taiuanesa levam tropas de elite e os pesqueiros carregam bandeiras e cartazes com frases convocando à defesa das ilhas Diaoyutai, nome dado por Taiwan ao arquipélago.

A flotilha, que violou o limite de 22 km em torno das ilhas Senkaku, é formada por cerca de 50 barcos pesqueiros, escoltados por seis navios da guarda costeira, e partiu de Taiwan com o objetivo de afirmar a soberania de Taipé sobre o arquipélago.

Os navios japoneses na região advertiram a flotilha por rádio para não entrar nas águas territoriais do Japão, e um barco da guarda costeira de Taiwan respondeu que "estas são águas da República da China (Taiwan) e estamos aqui por nosso direito".

No momento, a guarda costeira japonesa mantém navios na região das ilhas Senkaku, e cinco barcos chineses estão no limite das águas territoriais do arquipélago.

Este grupo de ilhas desabitadas, situadas a 200 km a nordeste de Taiwan e a 400 km a oeste de Okinawa (sul do Japão), é a origem de grande tensão entre Japão, China e Taiwan.

Na manhã desta segunda-feira, dois navios de vigilância chineses entraram nas águas territoriais em torno do arquipélago, passando a 20 km de duas das ilhas Senkaku - Kubashima e Uotsurijima -, segundo a guarda costeira japonesa.

Outros quatro navios chineses chegaram ao limite das águas territoriais, a 22 km do arquipélago.

Na semana passada, 13 embarcações do governo chinês navegaram pelo menos quatro dias nas proximidades das ilhas Senkaku.