Talibã se compromete a respeitar a liberdade de imprensa no Afeganistão; RSF mantém reservas

·2 min de leitura
Porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid (e), na primeira coletiva de imprensa do Talibã em Cabul após tomar o Afeganistão

Os talibãs, que tomaram o poder no Afeganistão no domingo (15), se comprometeram a respeitar a liberdade de imprensa, segundo um comunicado emitido nesta terça-feira (17) pela associação Repórteres sem Fronteiras (RSF), que mantém reservas sobre este compromisso.

"Respeitaremos a liberdade de imprensa, porque a informação dos veículos de comunicação será útil para a sociedade e poderá ajudar a corrigir os erros dos líderes", disse o porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid.

"Com esta declaração ao RSF, declaramos ao mundo que reconhecemos a importância do papel dos meios de comunicação", acrescentou em uma conversa telefônica com o RSF no domingo, segundo o comunicado.

E acrescentou: "Os jornalistas que trabalham para meios de comunicação estatais ou privados não são criminosos e nenhum deles será perseguido. Na nossa opinião, esses jornalistas são civis e, além disso, são jovens com talento que constituem nossa riqueza".

Durante o primeiro período do governo talibã no Afeganistão, de 1996 a 2001, todos os meios de comunicação foram proibidos, exceto a emissora de rádio A Voz da Sharia, "que não emitia nada além de propaganda e programas religiosos", lembrou RSF.

A organização de defesa da liberdade de imprensa disse que "só o tempo dirá" se a declaração pode ser levada a sério e afirmou que cerca de 100 veículos de comunicação já deixaram de funcionar desde o rápido avanço dos talibãs no país.

Sobre as mulheres jornalistas, Mujahid disse que poderão continuar trabalhando, contando com que usem o hijab ou cubram os cabelos.

Ele afirmou que vai estabelecer um "marco legal" e que, enquanto isso, elas devem "ficar em casa, sem estresse e sem medo".

"Garanto a vocês que voltarão aos seus postos de trabalho", insistiu.

Muitos analistas recomendam ter cuidado na hora de levar os compromissos dos talibãs ao pé da letra, dado o histórico do grupo de violar acordos e sua violenta hostilidade contra qualquer um que considerem que trabalha contra seus interesses.

Os analistas também consideram que o grupo quer projetar uma imagem mais moderada para obter reconhecimento internacional.

O Afeganistão possui pelo menos oito agências de notícias, 52 canais de televisão, 165 emissoras de rádio e 190 jornais impressos, segundo RSF, citando dados da Federação Afegã de Imprensa e Jornalistas.

O país possui um total de 12.000 jornalistas, segundo a mesma fonte.

adp-meb/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos