Talibãs do Afeganistão defendem boicote à eleição presidencial

A cidade de Cabul, em 3 de agosto

Os talibãs pediram, nesta terça-feira, à população afegã que boicote a eleição presidencial de setembro e evite concentrações "que poderiam virar alvos potenciais".

"Para evitar que nossos compatriotas sofram perdas, Deus nos salve, devem evitar as concentrações que podem virar objetivos potenciais", afirmam os insurgentes em um comunicado.

O anúncio coincide com a oitava rodada de negociações entre Estados Unidos e representantes dos insurgentes em Doha.

O emissário americano para o Afeganistão, Zalmay Khalilzad, afirmou na segunda-feira que as duas partes fizeram "excelentes avanços".

O porta-voz político dos talibãs, Suhail Shaheen, também afirmou nesta terça-feira que foram registrados "excelentes progressos".

A eleição presidencial está programada para 28 de setembro.