Talibãs 'examinam' vídeo de execuções sumárias

O regime talibã disse nesta quarta-feira (14) que estava "examinando" um vídeo publicado nas redes sociais que supostamente mostra seus combatentes executando sumariamente insurgentes afegãos após capturá-los.

A Frente Nacional de Resistência (FNR), um grupo que atua principalmente na província de Panjshir, localizada 80 quilômetros ao norte de Cabul, disse que o vídeo mostrava a execução de alguns de seus combatentes e acusou os talibãs de "crimes de guerra".

O vídeo mostra dois grupos de homens agachados em uma ladeira e com as mãos amarradas nas costas, alvejados por fuzis automáticos disparados por soldados talibãs.

É possível ouvir os combatentes gritarem "Allahu Akbar!" ("Deus é o maior") e um homem dizer "parem, parem!" quando os reféns caem, aparentemente mortos.

"Estamos investigando o assunto para saber exatamente quando filmaram esses vídeos e se são antigos", declarou à AFP o porta-voz adjunto do Governo, Bilal Karimi.

"Entretanto, até agora, não temos nenhuma ideia de onde ou quando foram gravados esses vídeos, nem quem são as pessoas que aparecem neles", acrescentou Karimi.

O vídeo viralizou um dia depois que os talibãs anunciaram que suas forças haviam matado ao menos 40 soldados da FNR em Panjshir.

A FNR, dirigida por Ahmad Massud, filho do famoso comandante Ahmad Shan Massud, foi o último grupo a resistir à tomada do país pelos talibãs, mas perdeu seu reduto de Panjshir para eles em setembro de 2021.

abj-ash-jd/pc/mb/ms