Talibãs expulsam moradores e saqueiam casas, denuncia ONG

·1 minuto de leitura
Fumaça é vista em meio a combates entre forças de segurança afegãs e talibãs na cidade de Qala-i- Naw

Os talibãs expulsam pessoas de seus lares e saqueiam ou incendeiam casas no norte do Afeganistão, enquanto redobram sua ofensiva contra as forças do governo, denunciou a Human Rights Watch (HRW) nesta quarta-feira.

De acordo com a ONG, moradores de Bagh-e Sherkat, na província de Kunduz, disseram ter recebido uma advertência gravada dos insurgentes no fim de junho, ordenando que eles deixassem seus lares em duas horas, "para a sua própria segurança". Moradores entrevistados por telefone pela HRW contaram que cerca de 600 famílias tiveram que deixar a cidade, que os talibãs ameaçaram pessoas que apoiam o governo afegão, e que alguns combatentes saquearam e incendiaram casas.

"A retaliação dos talibãs contra civis suspeitos de apoiar o governo é uma advertência abominável sobre o risco de atrocidades futuras", disse Patricia Gossman, diretora da HRW para a Ásia. "Os líderes talibãs têm o poder de impedir que suas tropas cometam esses abusos, mas ainda não mostraram intenção de fazê-lo", acrescentou.

A ONG relatou em particular o depoimento de uma viúva de 45 anos, segundo a qual os talibãs "disseram que eu deveria ir embora, porque havíamos ajudado os 'infiéis'. Vivi nesse povoado por 20 anos. Agora, vivo numa barraca de campanha em Faizabad."

A ofensiva insurgente se intensifica à medida que as forças americanas e da Otan concluem sua retirada do Afeganistão, eliminando um apoio crucial para o Exército afegão. Os talibãs, que desde maio se apoderam de grande parte do território rural e se aproximam de cidades importantes, entraram na manhã de hoje em Qala-i-Naw, capital da província de Badghis (noroeste), que tem 75 mil habitantes.

pmh/vgr/seb/yow7gm/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos