Tarcísio anuncia equipe de transição com colegas de ministério, bolsonaristas e aliados da eleição

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.10.2022 - O governador eleito de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos). (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.10.2022 - O governador eleito de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos). (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O coordenador da transição de governo em São Paulo, Guilherme Afif Domingos (PSD), anunciou nesta terça-feira (22) os nomes da equipe escolhida pelo governador eleito Tarcísio de Freitas (Republicanos).

São 105 pessoas no total, incluindo nomes que trabalharam com Tarcísio no Ministério da Infraestrutura, ex-assessores do ministro Paulo Guedes (Economia), bolsonaristas, evangélicos e membros de partidos aliados, como Republicanos, PL e PSC. Há ainda pessoas ligadas ao presidente do PSD, Gilberto Kassab, e ex-integrantes de gestões do PSDB no estado.

Haverá oito grupos temáticos: agricultura e abastecimento; desenvolvimento social, mulheres e PCD (pessoa com deficiência); educação, cultura e esportes; segurança pública e administração penitenciária; turismo; gestão, desenvolvimento econômico, ciência e tecnologia e finanças; meio ambiente, habitação e infraestrutura; e saúde.

Tarcísio afirmou que os nomes escolhidos são pessoas que já atuaram na campanha em sua maioria, com algumas exceções. Ele voltou a ressaltar que a equipe de transição não necessariamente participará do governo no ano que vem.

"Vocês vão ver mais na frente que tem áreas ali que nós temos alguns nomes participando da transição e não vai ter nenhum secretário ali", diz.

Tarcísio afirmou que tarefa fundamental da equipe de transição é fazer adequação da Lei Orçamentária para 2023 até a primeira semana de dezembro.

De acordo com Afif, os nomes dos futuros secretários podem ou não sair da lista da transição, dependendo de decisão do governador eleito. O único secretário confirmado até agora, Renato Feder (Educação), por exemplo, integra a equipe que tratará do tema.

Afif afirmou que a equipe de transição é formada por pessoas que participaram da elaboração do programa de governo e disse ainda que os nomes dos secretários serão anunciados aos poucos até a data da posse.

A ideia é que seja mantido o mesmo número atual de pastas (28, incluindo secretarias extraordinárias), mas pode haver remanejamento de áreas. Tarcísio, por exemplo, prometeu uma Secretaria da Mulher, que hoje não existe.

O coordenador da transição também afirmou que partidos poderão colaborar nas escolhas da equipe. "Os partidos vão participar, mas podem indicar nomes para o critério técnico estabelecido pelo governador. [Os nomes] Têm que passar pelo crivo e não tem porteira fechada", disse.

Como mostrou a Folha de S.Paulo, bolsonaristas vinham reclamando de falta de espaço, mas vários nomes alinhados ao presidente Jair Bolsonaro (PL), que patrocinou a candidatura de Tarcísio, foram indicados. A lista inclui os deputados estaduais Frederico D'Ávila (PL) e Valéria Bolsonaro (PL); os deputados federais Rosana Valle (PL), Capitão Derrite (PL) e Cezinha de Madureira (PSD), a vereadora Sonaira Fernandes (Republicanos) e o ex-secretário Filipe Sabará (Republicanos).

Samuel Kinoshita e Jorge Lima, ex-assessores de Guedes, estão no grupo ligado à área econômica, que também inclui o vice-governador eleito, Felicio Ramuth (PSD), e o deputado federal Vinicius Poit (Novo), que concorreu ao Governo de São Paulo, mas perdeu.

Tarcísio tem ainda nomes da sua confiança, como Arthur Lima e Rafael Benini, que foram diretores da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) vinculada ao Ministério da Infraestrutura.

O núcleo duro da transição tem ainda Lais Vita, assessora de comunicação de Tarcísio, e Priscilla Perdicaris, especialista em políticas públicas na área da saúde.

Há ainda um grupo ligado ao PSD, de Gilberto Kassab, que foi o principal articulador político de Tarcísio. Além de Felício e Afif, integram esse time o ex-deputado Eleuses Paiva (PSD) e os ex-secretários municipais na gestão de Kassab na capital Marcelo Branco e Miguel Bucalem.

A área de desenvolvimento social, mulheres e direitos da pessoa com deficiência tem nomes conservadores e evangélicos como Sonaira e Cezinha, que foi líder da bancada evangélica, além do vereador paulistano Gilberto Nascimento Jr (PSC).

A mulher de Tarcísio, Cristiane Freitas, também integra esse núcleo.

Esse grupo tem ainda Sabará, que foi secretário de Desenvolvimento Social na gestão de João Doria na prefeitura e presidente do Fundo Social do estado. Sabará, no entanto, se afastou de Doria e se aproximou do bolsonarismo.

Na área de segurança, há vários nomes da chamada linha-dura, do ex-secretário de Segurança Antonio Ferreira Pinto ao deputado Derrite. Em agricultura, além de D'Avila, que xingou o papa Francisco, há o coronel Mello Araújo, ex-comandante da Rota que chefia o Ceagesp.

A equipe da transição também traz ex-secretários e nomes que atuaram em gestões tucanas, como o ex-secretário de Saúde Giovanni Guido Cerri, que atuou na gestão Geraldo Alckmin, e o médico Esper Kallas, que foi membro do comitê de contingência contra o coronavírus da administração Doria.

A partir de agora, os grupos temáticos da transição devem passar a se reunir para definir os próximos passos, o que inclui envio de projetos de lei à Assembleia Legislativa de São Paulo.

Os trabalhos da transição começaram na quinta-feira (17), com uma reunião entre Tarcísio e o governador Rodrigo Garcia (PSDB). O secretário de Governo, Marcos Penido, coordena a transição pela parte de Rodrigo.

Um decreto estadual de 2006, publicado pelo então governador Cláudio Lembo (PFL), estabelece diretrizes para o processo de transição, mas não limita a quantidade de pessoas da equipe.

A norma diz que a equipe deve ser integrada por "profissionais e auxiliares" indicados pelo coordenador, que é Afif, e também por servidores designados pela Casa Civil.

O decreto ordena que as secretarias e órgãos forneçam informações precisas e em tempo hábil. A Casa Civil fica encarregada de fornecer infraestrutura e local de trabalho para a equipe.

O presidente do TCE (Tribunal de Contas do Estado), Dimas Ramalho, também determinou a criação de uma comissão para acompanhar os trabalhos da equipe de transição. O grupo, chefiado por Ramalho, terá seis profissionais da corte de contas paulista.

Veja a lista dos integrantes da equipe:

Coordenação de Transição

Guilherme Afif Domingos (Coordenação Geral)

Arthur Luis Pinho de Lima

Lais Vita

Priscilla Perdicaris

Nelson Hervey Costa

Agricultura e Abastecimento

Coronel Mello de Araújo

Edivaldo Del Grande

Frederico D'Avila

Guilherme Piai

Guilherme Ribeiro

João Sampaio

Ricardo Amadeu Sassi

Desenvolvimento Social, Mulheres e Direitos PCD

Ana Maria Velloso

Cezinha de Madureira

Cid Torquato

Cristiane Freitas

Deise Duque-Estrada

Filipe Sabará

Gilberto Nascimento Júnior

Marcone Vinicius Moraes de Souza

Maria Rosa

Rita Passos

Rosana Valle

Simone Marquetto

Sonaira Fernandes

Educação, Cultura e Esportes

Aildo Rodrigues

André Simmonds

Filomena Siqueira

Gustavo Souza Garbosa

Jair Ribeiro

José Roberto Walker

Karen Cristina Garcia

Lana Romani

Marcelo Magalhães

Maurreen Maggi

Patricia Borges

Paula Trabulsi

Pedro Machado Mastrobuono

Renato Feder

Talmo Oliveira

Thiago Peixoto

Valeria Bolsonaro

Vinícius Mendonça Neiva

Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Finanças

Anderson Correia

Bruno D'Abadia

Felicio Ramuth

Jorge Lima

Lucas Ferraz

Ricardo Britto

Rodrigo De Losso

Rui Gomes

Samuel Kinoshita

Vinicius Poit

Meio Ambiente, Habitação, Infraestrutura

Bruno Serapião

Claudio Bernardes

Lair Krahenbuhl

Marcelo Branco

Marcelo Coluccini

Marco Aurelio Costa

Marta Lisli Giannichi

Miguel Bucalen

Natália Resende Andrade Ávila

Paulo Ferreira

Rafael Benini

Ricardo Pereira Leite

Sérgio Henrique Codelo Nascimento

Saúde

Chao Lung Wen

Edmundo Baracat

Edson Rogatti

Eleuses Paiva

Esper Kallas

Fabio Jatene

Francisco Assis Cury

Francisco Ballestrin

Giovanni Guido Cerri

Gustavo Pereira Fraga

Helencar Ignacio

Helio Paiva

João Lauro Viana Camargo

José Eduardo Lutaif Dolci

José Luiz Gomes do Amaral

José Osmar Medina Pestana

Olímpio Bittar

Paulo Manoel Pego Fernandes

Sergio Okane

Tarcisio Eloy Pessoa Barros Filho

Segurança Pública e Administração Penitenciária

Antônio Ferreira Pinto

Artur José Dian

Cássio Araújo de Freitas

Guilherme Muraro Derrite

João Henrique Martins

Nelson Santini

Paulo Maculevicius

Raquel Kobashi Gallinati Lombardi

Rodrigo Garcia Vilardi

Turismo

Alain Baldacci

Alessandra Abrão

Alessandro Guiche

Ana Biselli

Armando Arruda Pereira de Campos Mello

Fernando Guinatto

Roberto de Lucena

Sergio Souza

Virgilio Nelson da Silva Carvalho