Tarcísio faz aceno favorável a aumento do seu salário para beneficiar auditores e policiais de SP

Em sua primeira reunião da equipe de transição nesta quinta-feira, o governador eleito de São Paulo, Tarcísio de Freitas, fez uma sinalização favorável ao aumento de seu próprio salário, o que teria como objetivo de beneficiar a elite do funcionalismo estadual, como auditores fiscais e policiais.

Se concedido, o impacto orçamentário do reajuste seria de R$ 1,5 bilhão. O aumento de 50% do salário do governador é articulado na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) pela base do governador Rodrigo Garcia (PSDB) e da gestão eleita. No entanto, os novos valores não estão previstos no orçamento que está atualmente no Legislativo estadual e cuja proposta teria de ser alterada.

Em caso de aprovação, o salário do governador subiria de R$ 23 mil para R$ 34,6 mil; o de vice de R$ 21,9 mil para R$ 32,9 mil; e o dos secretários, de R$ 20,7 mil para R$ 31,1 mil.

Tarcísio ponderou que é preciso encontrar espaço no orçamento, mas disse ser prematuro falar em "percentual" e que é "necessário" mudar o teto do funcionalismo, sendo que o salário do governador representa o limite. A elite do funcionalismo afirma que o teto está congelado desde 2019.

— Entendo que isso é necessário, mas a gente tem que encontrar espaço (no orçamento) para fazer os ajustes que a gente também quer fazer nas carreiras de entrada. Por isso é um assunto que precisamos olhar mais para frente com muito cuidado e interagir com a Assembleia — afirmou Tarcísio.

Tarcísio também anunciou que os trabalhos da equipe de transição começam oficialmente a partir de segunda-feira no edifício Cidade 1, na Bela Vista, onde hoje funcionam diversos órgãos do governo estadual.

Sob pressão de aliados, Tarcísio insistiu que sua gestão será técnica, mas fez um gesto na direção de correligionários e partidos de sua futura base que já disputam cargo no governo que tomará posse a partir de janeiro. Ele afirmou que sua administração será de "mudanças", mas não de "ruptura". O governador eleito prometeu manter iniciativa da atual gestão como o Bolsa Povo, acelerar obras de infraestrutura e aumentar o ensino integral, entre outras.

O governo Garcia informou que entregará o estado com o caixa no azul e com investimentos de R$ 22 bilhões.