Tarcísio faz campanha para deputado que xingou o papa

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 24.08.2022 - O candidato do Republicanos ao Governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 24.08.2022 - O candidato do Republicanos ao Governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em busca de votos no interior de SP, Tarcísio de Freitas (Republicanos) tem feito campanha ao lado de Frederico D’Ávila (PL), que disputará o cargo de deputado federal.

O ex-ministro gravou vídeos em que pede votos para o deputado estadual e diz que ele é o mais qualificado para representar o agronegócio em Brasília.

"Vamos precisar de um Frederico D'Ávila lá na Câmara dos Deputados. Que representa o nosso agronegócio. O agro que é tão atacado. Querem toda hora dizer que nosso agro é isso, é aquilo", iniciou Tarcísio, em discurso ao lado do parlamentar.

"A gente tem um agro que é sustentável, que é modelo para o mundo todo, e a gente precisa das vozes que na Câmara dos Deputados vão defender o nosso agronegócio. E a melhor voz, a mais qualificada, é a do Frederico. Que de fato representa o agronegócio de SP", completou o ex-ministro.

Em outro vídeo, Tarcísio chama D'Ávila de "nosso deputado federal " e cita o número do candidato.

No entanto, o aliado pode atrapalhar a relação de Tarcísio com a comunidade católica.

D’Ávila é alvo de processo na Assembleia Legislativa de SP por ter chamado o papa Francisco, um arcebispo de Aparecida e outras autoridades religiosas de vagabundos, pedófilos e safados.

As declarações de D’Ávila ocorreram em outubro do ano passado, motivadas por discurso do arcebispo de Aparecida (SP), dom Orlando Brandes.

Antes de visita do presidente Jair Bolsonaro ao local, o arcebispo pregou: "Vamos abraçar os nossos pobres e também nossas autoridades para que juntos construamos um Brasil pátria amada. E para ser pátria amada não pode ser pátria armada".

O deputado, então, atacou a conduta de Brandes.

"Seu vagabundo, safado, que se submete a esse papa vagabundo também. A última coisa que vocês tomam conta é do espírito e do bem-estar e do conforto da alma das pessoas. Você acha que é quem para ficar usando a batina e o altar para ficar fazendo proselitismo político? Seus pedófilos, safados. A CNBB é um câncer que precisa ser extirpado do Brasil", disse em discurso.

Dias depois, o bolsonarista pediu desculpas pelo "excesso" no pronunciamento "inflamado por problemas havidos nos dias anteriores".