Tarcísio defende Bolsonaro após comparação com Douglas Garcia: “Contextos diferentes”

Tarcísio de Freitas é candidato de Jair Bolsonaro ao governo de São Paulo (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Tarcísio de Freitas é candidato de Jair Bolsonaro ao governo de São Paulo (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Candidato bolsonarista ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) defendeu o presidente Jair Bolsonaro (PL) de comparações com o deputado Douglas Garcia (Republicanos).

Tarcísio foi questionado sobre o motivo de ter condenado a agressão do deputado estadual contra a jornalista Vera Magalhães, mas não ter se pronunciado quando o presidente da República atacou a jornalista no debate presidencial.

Segundo o ex-ministro, os contextos dos ataques eram “completamente diferentes”.

“Contextos completamente diferentes. O Bolsonaro reagiu a uma pergunta, o deputado foi lá pra um evento que não tinha nada a ver instigar uma jornalista que estava lá trabalhando, estava lá cumprindo o seu papel. Desnecessário”, declarou Tarcísio de Freitas, durante um encontro com empresários nesta quinta-feira (15).

“Ele (Douglas Garcia) não tinha direito de fazer aquilo. Usou uma credencial nossa, que a gente entregou pela deferência ao parlamentar do partido e você acha que a pessoa vai pra lá para se comportar. Nunca podia imaginar que a pessoa ia abordar a jornalista com celular no rosto dela, porque o parlamentar tem instrumentos para pedir esclarecimentos”, disse.

Após as declarações, o candidato ao governo não quis mais comentar o ocorrido. “O partido já se manifestou, soltou uma nota, a gente já manifestou sobre o assunto e agora cabe às autoridades competentes cuidar.”

'Mal conheço esse idiota'

Tarcísio de Freitas, candidato bolsonarista ao governo de São Paulo, telefonou para a jornalista Vera Magalhães para se desculpar pelos insultos feitos pelo deputado estadual Douglas Garcia à profissional.

"Eu telefonei e pedi desculpas por esse cara [Douglas Garcia] estar lá com uma credencial cedida pela minha campanha. Eu mal conheço, nem tenho contato com esse idiota", afirmou o candidato à coluna da jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo Tarcísio, Douglas Garcia entrou em contato com sua campanha para saber se ainda seria possível conseguir um ingresso para o debate. Como ainda havia credencial, ela foi dada para o parlamentar.

Douglas Garcia foi vetado de todos os próximos atos da campanha de Tarcísio.

'Se sentem autorizados por Bolsonaro'

De acordo com Vera, ainda durante o debate, o parlamentar bolsonarista começou a gravá-la, sem autorização dela. Nas redes sociais, a jornalista disse que o deputado tentou intimidá-la.

“Ele veio mentir novamente. Ele foi ao debate para me acossar, me intimidar, achar que com isso irá me calar e que terei medo. Isso não é aceitável. O Brasil é uma democracia e pressupõe uma imprensa livre”, disse Vera.

Vera disse ainda que está recebendo ataques de seguidores do presidente Jair Bolsonaro.

“Desde o debate [presidencial], estou recebendo ataques violentos e virulentos de uma base bolsonarista autorizada pelo presidente da República. Ele me atacou e eles se sentem autorizados a repetir os ataques”, informou a jornalista.