Tarifas aéreas e falta de pessoal ameaçam recuperação de viagens transatlânticas

Por Allison Lampert e Rajesh Kumar Singh

MONTREAL/CHICAGO (Reuters) - As companhias aéreas estimam que o fim das exigências de testagem da Covid-19 na América do Norte vai acelerar a recuperação do tráfego transatlântico, mas o aumento das tarifas devido à alta nos custos de combustível e à escassez de pessoal pode frear a crescente demanda no maior mercado de viagens internacionais do mundo.

As companhias responsabilizaram o requisito dos Estados Unidos de que passageiros que cheguem por via aérea estejam com teste negativo para Covid-19 pela diminuição na demanda.

Mas uma semana após a Casa Branca derrubar a regra, as companhias aéreas relatam uma onda de interesse em viagens internacionais.

Esse é um ponto positivo, uma vez que a indústria prepara uma reunião anual da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) no Catar.

O diretor-geral da Iata e ex-chefe da British Airways, Willie Walsh, espera que as companhias aéreas priorizem as importantes rotas transatlânticas que durante anos foram responsáveis por uma grande fatia dos lucros do setor.

"Acho que eles reduzirão a capacidade em outras áreas", disse Walsh à Reuters antes da reunião de 19 e 21 de junho, em Doha.

(Reportagem de Allison Lampert em Montreal e Rajesh Kumar Singh em Chicago)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos