Tatuador que perdeu o pai para Covid comemora a alta da mãe

Elaine Neves
·2 minuto de leitura

RIO - Um alívio para os filhos e familiares de Maria Benedita, de 67 anos, que recebeu alta médical após contrair o novo coronavírus. Em um vídeo publicado nas redes sociais, Wander Gonzaga, de 39 anos, registrou a saída da mãe do Hospital de Santa Maria, no Distrito Federal, neste domingo.

" Depois de uma mês tão difícil com a morte de meu pai e amigos...hoje um dia mais que feliz...está lá e ver minha mãe saindo do hospital, curada do covid...obrigado por todas orações e energia positiva que recebemos, obrigado a equipe do hospital de Santa Maria, obrigado Deus!!!", escreveu o tatuador em sua conta do Instagram.

Segundo Wander, a ex-diarista teve um Acidente Vascular Cerebral(AVC) semanas anteriores, mas já estava se recuperando quando começou a sentir um mal-estar. Ele achava que poderia ser reflexo do AVC ou que pudesse ser reação da segunda dose da vacina, que Maria recebeu dias antes, e por isso procurou um hospital. Após a realização de um teste, foi constatado positivo para o Covid-19.

– Ela estava passando mal e a gente achou que pudesse ser das lesões do AVC, porque estava se sentindo muito fraca e com dificuldade de comer. E aí, levamos para tomar a segunda dose vacina e ela ficou ruim. A gente achou que pudesse ser reação. No hospital, viram que a saturação dela estava muito baixa e ficou em observação - contou o tatuador, que acredita que os sintomas vieram de forma leve por causa da vacina.

– Como ela já tinha tomado as vacinas, o vírus não veio tão forte. Ela ficou internada uma semana e ontem recebeu alta. Só estavam esperando a saturação normalizar. Depois ela conseguiu ficar 24 horas sem o respirador e deram alta. Até pela quantidade de pessoas no hospital, qualquer melhora eles dão alta - concluiu.

Em abril, o pai de Wander, José Carlos Gonzaga, de 68 anos, veio a óbito por causa da doença. O servidor púbico ficou internado desde fevereiro no Hospital Santa Marta, em Taguatinga, após sofrer uma queda quando fazia reparos em casa e precisou ser hospitalizado. Devido a diversas complicações no quadro clínico, ele teria contraído o vírus ainda no hospital e faleceu.

Após a alta médica do acidente vascular, Maria foi morar com o filho e a nora até que pudesse se recuperar. Com o teste positivo para o Covid-19 da mãe, os dois também contraíram o coronavírus pela segunda vez.

– Ela veio morar comigo até se recuperar do AVC porque mora sozinha. Os três foram contaminados: minha mãe, eu e minha esposa. Estamos os três de quarentena. No ano passado, eu fiquei bem ruim...e minha esposa ficou leve...dessa vez já foi o inverso – conta Wander que não precisou ser hospitalizado em nenhuma das situações e faz o tratamento recomendado em casa.