Tatuzão volta a escavar túnel do metrô 7 meses após acidente

SÃO PAULO, SP, 31.08.2022 - RODRIGO-GARCIA-SP: O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), candidato à reeleição, visita as obras da linha 6-Laranja para retomada da operação da tuneladora, popularmente conhecida como tatuzão, nesta quarta-feira. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 31.08.2022 - RODRIGO-GARCIA-SP: O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), candidato à reeleição, visita as obras da linha 6-Laranja para retomada da operação da tuneladora, popularmente conhecida como tatuzão, nesta quarta-feira. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O tatuzão, equipamento responsável por escavar os túneis do metrô, voltou a funcionar nesta quarta (31), sete meses após o acidente que abriu uma cratera na marginal Tietê, em São Paulo.

A obra da linha 6-laranja está prevista para ser entregue em 2025 e o acidente não atrasou os trabalhos, segundo o governador Rodrigo Garcia (PSDB).

O acidente aconteceu em 1º de fevereiro no canteiro de obras da futura estação Santa Marina. O rompimento causado por uma tubulação de esgoto da Sabesp fez ceder o asfalto da marginal Tietê, na altura da ponte da Freguesia do Ó, na zona norte da cidade. Na ocasião, as pistas local e central, no sentido da rodovia Ayrton Senna, foram interditadas para veículos.

O canteiro de obras ficou alagado e o equipamento, que custa dezenas de milhões de euros, ficou no meio do esgoto.

Logo após o acidente, a Sabesp disse que a tubulação se rompeu durante o trabalho da tuneladora, como também é conhecido o equipamento.

O laudo do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), que indicará qual foi a causa do acidente, ainda não está pronto. Garcia também não soube informar a dimensão do prejuízo.

A tuneladora escava cerca de 12 metros por dia e deve levar de 20 a 24 meses para percorrer os 10 km no sentido centro até a estação São Joaquim, linha 1-azul. Este trecho passa debaixo da marginal e do rio Tietê.

As obras incluem também 5,3 quilômetros no sentido da zona norte da cidade. O trecho tem a sua própria tuneladora, e os trabalhos devem começar até novembro, segundo o governo estadual. Ao todo, são 15 quilômetros de extensão.

A linha 6-laranja terá 15 estações ligando São Joaquim à Brasilândia, na zona norte. A previsão é que a linha transporte mais de 600 mil pessoas todos os dias.

O equipamento começou a funcionar em dezembro de 2021 e tem 109 metros de comprimento, 10 metros de diâmetro e pesa 2.000 toneladas. Dentro do tatuzão há uma estrutura de apoio aos funcionários, com unidade de enfermagem e refeitório. Além do maquinário para retirar o material escavado e a da cabine de comando.