Taxa de Fernando de Noronha é roubo, afirma Bolsonaro

*ARQUIVO* FERNANDO DE NORONHA, PE, 19.10.2018 - Fernando de Noronha arquipélago brasileiro do estado de Pernambuco. (Foto: Suellen Lima /FramePhoto/Folhapress)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Presidente alegou que taxa para frequentar o paraíso natural é “roubo”

  • 'Vamos rever isso’, afirmou Bolsonaro, se referindo aos valores

O presidente Jair Bolsonaro disse que taxa cobrada para frequentar as praias de Fernando de Noronha é um roubo praticado pelo governo federal.

A declaração foi dada em rede social na noite deste sábado (13). Bolsonaro postou um vídeo que mostrava a praia do Sancho, tida como uma das mais bonitas do mundo.

Na postagem, apresentou os valores cobrados para turistas brasileiros e estrangeiros, R$ 106 e R$ 210, respectivamente, válidos para dez dias. "Isso explica porque quase inexiste turismo no Brasil", disse. No vídeo, um homem diz que a praia ficava vazia mesmo quando chegava ao limite permitido de turistas.

Leia também

"Vamos rever isso", afirmou o presidente. Bolsonaro também pediu que práticas semelhantes em outros locais fossem denunciadas.

Ele já havia afirmado que pretende ampliar a visitação turística em unidades de conservação do país.

Em fevereiro, o presidente do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Adalberto Eberhard, exonerou o chefe do Parque Nacional Marinho do arquipélago, Felilpe Mendonça.

Ao longo de 2018, Mendonça criticou o aumento vertiginoso no número de turistas em Fernando de Noronha, assim como a concessão de alvarás pelo governo de Pernambuco para a ampliação de pousadas.

O arquipélago registrou novo recorde de visitantes no ano passado, chegando a 103 mil pessoas. Até 2013, o número não havia ultrapassado da casa dos 60 mil.

O estudo de capacidade de carga do parque feito em 2009 aponta como limite máximo de turistas no arquipélago de 89 mil por ano. O governo de Pernambuco, contudo, vem ampliando ano a ano a autorização de voos diários a Noronha.