Taxa de transmissão cai no DF, mas ocupação de UTI continua alta

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O Distrito Federal tem reduzido a cada dia o índice de retransmissão do covid-19. O chamado Índice RT traz a estimativa de quantas pessoas são infectadas por um portador do vírus. Se o índice estiver em 1, significa que um portador transmite o vírus para apenas uma pessoa. Quanto maior o índice, maior o número de contaminados por esse portador. Atualmente, segundo o governo do DF, o índice está em 0,93.

O governador do DF, Ibaneis Rocha, decretou o fechamento do comércio e de atividades não essenciais em 1º de março. Na ocasião, a taxa de transmissão do vírus, ou Índice RT, estava em 1,38 e 92% dos leitos de UTI estavam ocupados. No dia 19 de março, Ibaneis prorrogou a medida. Desde o início do mês, com o início das restrições, o Índice RT passou a cair. A princípio, a restrição imposta pelo governo encerra na próxima segunda-feira (26). Não há informações se Ibaneis fará nova prorrogação.

“O Governo do Distrito Federal esclarece que todas as medidas tomadas para combate ao coronavírus são baseadas em avaliações de especialistas, critérios científicos e dados técnicos. A situação é monitorada pelo governo todos os dias, em tempo real. Quaisquer alterações nos protocolos vigentes serão publicadas no Diário Oficial”, afirmou a assessoria do governador, em nota.

Ao prorrogar o decreto, no dia 19, ele afirmou que “começará a liberar os setores prejudicados” se não houvesse piora nos índices de covid. Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos de UTI na rede pública está em 96%. Segundo a Secretaria de Saúde do DF (SES), foram registrados 1.805 novos casos nas últimas 24 horas.