Taxista se torna herói na Inglaterra após impedir ataque terrorista

·3 min de leitura
O taxista David Perry. Foto: Reprodução/Facebook
O taxista David Perry. Foto: Reprodução/Facebook
  • Motorista impediu que bomba fosse detonada em hospital

  • Artefato explodiu no carro, matando o suspeito

  • Primeiro ministros britânico comentou o caso

Neste domingo, um taxista inglês se tornou herói nacional após impedir um ataque terrorista em um hospital de mulheres na cidade de Liverpool neste domingo (14). David Perry trancou o suspeito no veículo para impedir que ele levasse uma bomba para o hospital. O artefato acabou explodindo dentro do carro. O taxista foi hospitalizado, mas já teve alta.

"O caso ainda está sob investigação, então não posso comentar os detalhes ou dizer exatamente que tipo de incidente foi, mas parece que o taxista em questão se comportou com incrível coragem", disse Boris Johnson, o primeiro-ministro do Reino Unido.

A bomba explodiu no momento em que o carro parou em frente ao hospital. O passageiro que levava o artefato era Emad Al Swealmeen, que morreu na explosão. Ele havia embarcado no táxi e pediu para ser levado ao hospital, em um trajeto de cerca de 10 minutos.

A esposa do taxista, Rachel Perry, disse que seu marido tem sorte de estar vivo. “A explosão aconteceu quando ele estava no carro, e como ele conseguiu escapar é um milagre”.

Segundo o jornal local Daily Mail, David Perry percebeu que o passageiro era suspeito e o trancou dentro do carro antes que ele pudesse escapar. A informação ainda não foi confirmada pela polícia antiterrorismo inglesa.

“Parece que o motorista de táxi em questão se comportou com uma incrível presença de espírito e coragem”, declarou o primeiro-ministro Boris Johnson.

Já a prefeita de Liverpool, Joanne Anderson, afirmou que os esforços heróicos do taxista evitaram o que poderia ter sido um desastre terrível.

Nesta segunda-feira (15), o Reino Unido elevou o nível de ameaça ao terrorismo do país para grave, o segundo nível de alerta mais grave.

"Estamos aumentando o nível de ameaça de 'importante' para 'grave'", anunciou o Ministro do Interior, Priti Patel, na televisão. Segundo ele, os eventos em Liverpool foram o segundo ato considerado terrorista após o assassinato do parlamentar David Amess, um mês atrás.

No domingo à noite, a polícia antiterrorismo informou a prisão de "três homens de 29, 26 e 21 anos" sob a "lei do terrorismo" na área de Kensington. Nesta segunda-feira, a polícia anunciou a prisão de um quarto homem, de 20 anos.

De acordo com Russ Jackson, chefe da polícia antiterrorismo no noroeste da Inglaterra, os motivos para este "ato de terrorismo" ainda não são conhecidos. Ainda assim, investigadores acreditam que o dispositivo explosivo foi fabricado pelo passageiro. Buscas foram realizadas nesta segunda-feira em dois locais onde o suspeito teria morado.

O caso aconteceu durante o feriado do "Dia da Memória" no Reino Unido, que homenageia as vítimas da guerra. A algumas centenas de metros de distância, soldados, veteranos e membros do público se reuniram para uma homenagem na Catedral de Liverpool.

A polícia trabalha com a possibilidade de que a explosão poderia ter como objetivo as comemorações. "Não podemos estabelecer uma conexão neste momento, mas é uma linha de investigação que estamos explorando", declarou Jackson em entrevista coletiva nesta segunda-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos