Taylor Swift, One Direction e Adele lideram ranking da Forbes de mais bem pagos da música

Por Melissa Fares
Cantora Taylor Swift durante show em Los Angeles. 15/02/2016 REUTERS/Mario Anzuoni

Por Melissa Fares

NOVA YORK (Reuters) - A pop star norte-americana Taylor Swift, a boy band One Direction e a cantora britânica Adele foram os músicos mais bem pagos do mundo neste ano, informou a revista Forbes nesta quarta-feira.

Com rendimentos de 170 milhões de dólares de turnês, gravações, patrocínios e outras fontes, Taylor, de 26 anos, ficou com o troféu de artista musical mais bem remunerada de 2016. A cantora arrecadou um total bruto de mais de 200 milhões de dólares durante o segmento norte-americano de sua turnê mundial "1989".

A intérprete de "Bad Blood" foi seguida pelo One Direction, banda pop inglesa-irlandesa que ganhou 110 milhões de dólares, arrecadando mais de 200 milhões com seu giro recente On The Road Again Tour.

No terceiro lugar do ranking veio Adele, de 28 anos, com 80,5 milhões de dólares, seu maior rendimento total até hoje. A cantora de "Hello", cujo álbum "25" foi o que mais vendeu em 2015, desfrutou de um sucesso contínuo nas vendas este ano, e ainda ganhou milhões por noite com suas apresentações em arenas.

Madonna, cuja turnê recente "Rebel Heart" arrecadou 170 milhões de dólares, ficou na quarta colocação, com 76,5 milhões, o que elevou o total de sua carreira na estrada a 1,4 bilhão de dólares pré-impostos, de acordo com a Forbes.

Completando os 10 mais bem pagos da lista vieram Rihanna, que arrecadou 75 milhões de dólares, o astro country Garth Brooks (70 milhões), a banda de rock veterana AC/DC (67,5 milhões), os Rolling Stones (66,5 milhões), o DJ Calvin Harris (63 milhões) e o magnata da música Diddy (62 milhões).

Coletivamente, os 30 músicos listados acumularam mais de 1,8 bilhão de dólares neste ano.

A Forbes compilou a lista depois de estimar a renda pré-impostos nos 12 meses transcorridos entre junho de 2015 e de 2016 com base em entrevistas com empresários, agentes, advogados e alguns dos artistas. A revista ainda analisou dados da publicação Pollstar, da Associação da Indústria Fonográfica da América e da empresa de monitoramento Nielsen SoundScan.