Tchecos elegem presidente em disputa acirrada

Um bilionário, um general e uma economista são os favoritos no primeiro turno da eleição presidencial na República Tcheca que começou nesta sexta-feira (13) e se anuncia muito acirrada.

O primeiro turno das eleições neste país da União Europeia, com 10,5 milhões de habitantes, termina no sábado.

O ex-primeiro-ministro populista Andrej Babis, o general reformado Petr Pavel e a professora universitária Danuse Nerudova estão na disputa para se tornar o quarto presidente da República Tcheca desde sua criação em 1993, após sua separação da Eslováquia.

O vencedor substituirá Milos Zeman, de 78 anos, um político veterano conhecido por sua franqueza e gosto pelo álcool. Conclui em março um mandato que teve mais influência do que um presidente tcheco costuma ter.

Embora seu papel seja essencialmente cerimonial, o chefe de Estado é quem nomeia o governo, escolhe o presidente do Banco Central e os juízes constitucionais. Também é o comandante em chefe das Forças Armadas.

O vencedor presidirá um país que enfrenta uma inflação recorde e um enorme déficit fiscal atribuído à guerra na Ucrânia.

A menos que alguém obtenha mais de 50% dos votos no primeiro turno, haverá segundo turno nos dias 27 e 28 de janeiro entre os dois candidatos mais votados.

"Se me pedissem para apostar (no resultado), eu não apostaria", disse à AFP Petr Just, analista da Universidade Metropolitana de Praga.

- Três favoritos -

O magnata dos negócios e ex-primeiro-ministro Babis, de 68 anos, é a quinta pessoa mais rica do país, segundo a revista Forbes.

Paraquedista de elite, Pavel, de 61, é conhecido por ter libertado as tropas francesas atacadas pelos sérvios durante a guerra da Bósnia em 1993.

Após a adesão da República Tcheca à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em 1999, passou três anos no comando regional da Aliança Atlântica na Holanda, antes de se tornar chefe do Estado-Maior do Exército tcheco e, mais tarde, chefe do comando militar da Otan.

Nerudova é, com 44 anos, a mais jovem entre os favoritos. Esta economista e professora universitária enfatiza questões sociais e tem grande apoio entre o eleitorado jovem.

Em conversa com jornalistas antes do último debate transmitido pela televisão na noite de quinta-feira, os três candidatos prometeram, se eleitos, ser muito diferentes de Zeman, doente e polêmico.

"Todo mundo me conhece. Serei muito ativo, e minha vantagem é que tenho experiência em todos os setores do governo", disse Babis aos repórteres.

"É uma das minhas prioridades: restaurar a dignidade da função presidencial (...) a título de exemplo", declarou Pavel.

Nerudova, que corteja os eleitores jovens como a "representante do futuro", enfatizou que uma mulher seria uma mudança bem-vinda à política tcheca, predominantemente masculina.

“Há muita agressividade na nossa sociedade, e acho que uma mulher traria empatia e mais cultura política”, alegou.

Segundo as pesquisas, Pavel e Nerudova derrotariam Babis no segundo turno.

Nenhum dos candidatos restantes atinge mais de 10% nas pesquisas. Eles incluem os senadores de centro Pavel Fischer e Marek Hilser, o legislador de extrema direita Jaroslav Basta, o empresário Karel Divis e Tomas Zima, ex-reitor da Universidade Charles.

As seções eleitorais abriram nesta sexta-feira às 14h (10h no horário de Brasília) e fecham às 22h. No sábado, funcionarão das 8h às 14h. Os resultados do primeiro turno devem ser anunciados na noite deste sábado.

frj/amj/bo/meb/avl/aa/tt