TCM avalia hoje contas de 2019 de Crivella; técnicos sugerem rejeição, que seria a primeira da história

Luiz Ernesto Magalhães
·1 minuto de leitura
Pedro Teixeira / Agência O Globo

RIO — Às vésperas do fim de seu mandato, que termina no dia 31 de dezembro, o prefeito Marcelo Crivella pode se tornar, nesta quarta-feira, o primeiro chefe do executivo municipal do Rio a ter as contas de seu governo reprovadas pelo Tribunal de Contas do Município (TCM). Os conselheiros deliberam sobre as contas de 2019 a partir das 10h30 desta quarta, e O GLOBO apurou que os órgãos técnicos da corte são favoráveis à rejeição por uma série de problemas constatados.

Além de ter fechado o ano passado com um rombo nas contas de R$ 4,24 bilhões (equivalentes a 15% dos tributos arrecadados naquele ano), os cofres públicos tiveram que arcar com quase R$ 25 milhões em multas por atrasar o pagamento de dívidas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Além disso, pelo segundo ano consecutivo, Crivella deixou de quitar precatórios (dívidas judiciais) no valor de R$ 126,4 milhões, descumprindo inclusive uma determinação do próprio TCM relativa às despesas de 2018, que orientavam a necessidade de não atrasar os pagamentos.