TCU abre investigação sobre denúncias de assédio do ex-presidente da Caixa

TCU irá investigar as denúncias de funcionárias contra Pedro Guimarães. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
TCU irá investigar as denúncias de funcionárias contra Pedro Guimarães. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
  • Pedido de apuração veio do Ministério Público de Contas

  • Assédios seriam uma violação do princípio de moralidade na administração pública, diz TCU

  • 'Além de caracterizar prática criminosa, configura flagrante violação ao princípio administrativo da moralidade'

Pedro Guimarães, ex-presidente da Caixa Econômica Federal, será investigado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por conta das denúncias de assédio sexual por parte de funcionárias do órgão.

O pedido de investigação foi feito pelo subprocurador Lucas Rocha Furtado, do Ministério Público de Contas.

O pedido afirma que “quando praticado no âmbito da administração pública, o assédio gera a percepção, na sociedade, de que as instituições estatais não se pautam em valores morais nem são conduzidas segundo elevados padrões de conduta”.

Em seu texto para iniciar a investigação, o TCU afirmou que, caso comprovado os assédios, se configura uma violação do princípio da moralidade na administração pública, definido na Constituição.

“Apurar as notícias de que o sr. Pedro Guimarães, no exercício da presidência da Caixa Econômica Federal, cometeu assédio sexual e moral contra empregadas e empregados daquela instituição financeira pública, o que, além de caracterizar prática criminosa, configura flagrante violação ao princípio administrativo da moralidade, previsto expressamente no caput do artigo 37 da Constituição”, diz o Tribunal.

Ainda segundo o subprocurador, “o sr. Pedro Guimarães, no exercício da presidência da Caixa Econômica Federal, cometeu assédio sexual e moral contra empregadas e empregados daquela instituição financeira pública, o que, além de caracterizar prática criminosa, configura flagrante violação ao princípio administrativo da moralidade”.

Relembre o caso

O ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, está sendo acusado de assédio sexual por funcionárias do banco. As denúncias foram feitas e registradas em vídeo pelo site Metrópoles. As identidades das vítimas foram preservadas.

Segundo o portal, "todas elas trabalham ou trabalharam em equipes que servem diretamente ao gabinete da presidência da Caixa. Cinco concordaram em dar entrevistas, desde que suas identidades fossem preservadas. Elas dizem que se sentiram abusadas por Pedro Guimarães em diferentes ocasiões, sempre durante compromissos de trabalho".

De acordo com as vítimas ouvidas pela reportagem, o assédio sempre se dava por "toques íntimos não autorizados, abordagens inadequadas e convites heterodoxos". Ainda segundo o Metrópoles, o Ministério Público Federal já abriu uma investigação, que está em andamento e sob sigilo.

Ele deixou o cargo na última quinta-feira (29). Segundo publicado pela colunista Bela Megale, do jornal O Globo, a oficialização do pedido de demissão de Guimarães ocorreu durante um encontro com o presidente Jair Bolsonaro (PL) através de uma carta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos